Doctor, and patient in ophthalmology labA catarata é a causa mais comum de cegueira no mundo e o número de pessoas afetadas aumenta com a idade, sendo 2,5% entre 40 e 49 anos e de 68,3% nos maiores de 80 anos. A doença faz com que a pupila tenha um aspecto branco ou amarelo leitoso. Além de humanos, a doença também afeta alguns animais, como cães e gatos.

Se você recebeu o diagnóstico ou acha que pode estar com catarata, tire aqui todas as dúvidas e entenda tudo sobre essa doença.

O que é a catarata?

Trata-se de uma opacificação do chamado cristalino. O cristalino é uma lente natural do olho, logo abaixo da pupila e da íris, que é responsável por se adaptar para que a visão de objetos tanto perto quanto longe seja perfeita e pela transmissão de luz à retina, por isso sua transparência é tão importante. A lesão da catarata tende a progredir com o tempo, prejudicando cada vez mais a visão, mas é totalmente reversível com o tratamento cirúrgico.

Quais são as causas?

As causas são diversas e cada uma está relacionada a um tipo de catarata. Envelhecimento, trauma, diabetes, inflamações do olho,  glaucoma, medicamentos e exposição a radiações são as mais comuns.

Quais são os tipos de catarata?

Catarata senil: é relacionada à idade, sendo um processo natural do envelhecimento. É o tipo mais comum.

Catarata congênita: é aquela que o bebê já nasce com ela ou que aparece no primeiro ano de vida. Caso gere sintomas ou diminua a visão, deve ser sempre retirada o mais rápido possível. Pode ser relacionada com infecções (rubéola, toxoplasmose, citomegalovirus, dentre outras) ou uso de drogas, como alcool, durante a gravidez.

Catarata secundária: é consequência do uso de medicamentos, como esteroides, ou de doenças que afetam os olhos, como glaucoma, diabetes e processos inflamatórios como a uveíte.

Catarata traumática: é causada por uma lesão física ao olho, comum em acidentes com agricultores e serralheiros e outras profissões nas quais o uso de óculos protetores é essencial para evitar essa doença.

Catarata de radiação: surge após tratamentos radioterápicos, como os de câncer. Mas também pode ser devido à exposição solar.

Quais são os sintomas?

simulação da visão de um paciente portador de catarataA principal reclamação é de vista embaçada ou dupla, além de uma miopia, com incapacidade de observar objetos a distância, que não se resolvem com o uso de óculos. Com o cristalino opaco, a luz não consegue atingir bem a retina, gerando uma imagem enevoada e impedindo a pessoa de ler, dirigir ou até mesmo de ver o rosto das pessoas. Com o avançar da doença, nenhuma luz passa a atingir a retina e a pessoa fica praticamente cega. Alguns tipos de catarata tem como principal sintoma uma sensibilidade maior à luz.

LEIA TAMBÉM:  Afinal, a catarata pode levar a cegueira?

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico de catarata só pode ser feito pelo oftalmologista, que irá realizar um exame completo do olho, checar sua visão em distâncias e iluminações variadas, verificar a sensibilidade para contrastes de cores e estudar o seu histórico médico buscando identificar uma causa para a catarata.

Como tratar?

O principal e único tratamento efetivo e eficaz é a cirurgia, na qual o cristalino danificado é retirado e uma lente artificial substituta é colocada. Na técnica de facoemulsificação, a incisão é bem pequena, cerca de 2-3mm, e pode ser realizada com anestesia local com todo conforto. A visão melhora imediatamente, atingindo o máximo em cerca de 1 mês.

cirurgia de catarata

Em um primeiro momento, no entanto, tratamentos menos invasivos podem ser usados. Busque  manter os ambientes bem iluminados mas sem iluminação forte direta e utilizar óculos prescritos, que melhoram a imagem.

Como evitar?

O importante para evitar a catarata é manter uma boa saúde do corpo e, principalmente, dos olhos. Não ingira grande quantidade de álcool, mantenha um peso saudável, pare de fumar e controle o diabetes e a hipertensão. Em relação aos olhos, evite expô-los a radiação, use óculos de sol nos dias mais claros e faça visitas regulares ao oftalmologista para diagnóstico e tratamento de outras doenças dos olhos como lesões ou traumas, glaucoma e uveíte.

Embora muito comum e difícil de evitar devido a suas várias causas, a catarata é tratada com sucesso e de forma definitiva em praticamente 100% das pessoas que realizam a cirurgia, então não deixe de consultar seu oftalmologista para avaliar qual o tratamento mais adequado para você.

Ainda tem dúvidas sobre catarata? Deixa sua pergunta aqui nos comentários ou agende sua consulta!

Você tem mais dúvidas sobre a cirurgia de catarata? Comente e confira também nossos outros posts sobre o assunto:

E não deixe de visitar o seu oftalmologista de confiança regularmente.

Posts Relacionados

Ricardo Filippo
Oftalmologista
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.