O câncer nos olhos é uma doença incomum, mas que apresenta poucas chances de cura se diagnosticado tardiamente.

Em alguns casos, é desencadeado pela proliferação de células malignas nos tecidos oculares. Entretanto, a maior parte das ocorrências se dá por metástase — ou seja, quando a doença, proveniente de uma lesão inicial, migra por via sanguínea ou linfática até as estruturas oculares.

Aprender mais sobre os tumores nos olhos que mais atingem a população é muito importante para a evitar o desenvolvimento da doença. Então, quer saber quais são os tipos mais comuns e as formas de tratamento do câncer nos olhos? Continue lendo este artigo e confira!

Retinoblastoma

Esse é um dos tumores malignos intraoculares mais comuns na infância, ocorrendo nas células da retina. Pode ser detectado, frequentemente, até os cinco anos de idade. Na maioria dos casos, as causas são desconhecidas, e a principal característica é o desenvolvimento anormal da retina, que compromete, geralmente, apenas um dos olhos.

retinoblastoma também pode ter origem hereditária. Nessa condição, geralmente se manifesta em ambos os olhos.

Sinais

A leucocoria — também conhecida como reflexo pupilar branco — é o principal vestígio da doença. Caracteriza-se pelo aspecto esbranquiçado do olho, quando exposto à luz do flash de uma câmera fotográfica. Também pode ser percebida por um oftalmologista, em exames simples de rotina.

Outra condição que pode haver é o estrabismo, cuja principal característica é o desalinhamento dos olhos.

Diagnóstico e tratamento

O retinoblastoma é confirmado após avaliação do médico especialista, bem como a realização de exames. Já o tratamento é feito conforme o estágio da doença. Entre as opções, estão a terapia a laser, a braquiterapia, a quimioterapia e a remoção do globo ocular.

Melanoma de coroide

Comum em adultos, esse tipo de tumor acomete igualmente mulheres e homens, com idade entre 45 e 60 anos.

No geral, a parte mais acometida pela doença é a coroide, que compreende a camada do olho situada entre a retina e a esclera, ou seja, o fundo do olho.

Sinais

Os sintomas da doença dependem do tamanho do tumor e da sua localização dentro do olho. Os mais comuns são a perda de parte do campo visual, a alteração na forma ou no tamanho da pupila, o abaulamento dos olhos e manchas.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico é obtido por meio de exame clínico realizado por um oftalmologista, além de exames como OCT e ultrassonografia ocular. Seu tratamento é determinado pelo médico, conforme o tamanho do tumor, podendo ser realizado com braquiterapia, microcirurgia ou enucleação.

Linfoma intraocular

Este é tipo mais raro de câncer nos olhos, e se origina nos linfócitos, as células do sistema imunológico. Normalmente, atinge os dois olhos e está relacionado a linfomas cerebrais, também chamados de linfomas primários do sistema nervoso central.

O linfoma intraocular ocorre com mais frequência em pessoas idosas ou que apresentem problemas referentes ao sistema imunológico.

Sinais

Seus principais sintomas são manchas na visão, inchaço no olho, vermelhidão e visão embaçada.

Diagnóstico e tratamento

A enfermidade é identificada por meio de avaliação oftalmológica e exames complementares. Como é um tumor muito agressivo, geralmente é tratado com quimioterapia e radioterapia.

Enfim, este post sobre câncer nos olhos foi útil para você? Então, para acompanhar nossos próximos conteúdos, aproveite para nos seguir nas redes sociais! Estamos no Facebook, no Twitter e no LinkedIn.

E não deixe de visitar o seu oftalmologista de confiança regularmente!

Posts Relacionados

Ricardo Filippo
Especialista em Cirurgia Refrativa a Laser e Ceratocone
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.