Com o passar dos anos, a pele vai perdendo colágeno e, com isso, vai sofrendo diversas mudanças. E a região dos olhos não fica de fora desse processo — tanto que as pálpebras podem ser um dos primeiros locais a sofrer os sinais do envelhecimento. Isso ocorre porque se trata de uma área que acumula bastante gordura, provocando flacidez e aparência enrugada.

E é aí que entra a cirurgia de blefaroplastia, que ajuda a melhorar a aparência das pálpebras superiores e inferiores e pode, inclusive, restaurar o campo visual de alguns pacientes. Mais do que uma cirurgia estética, a blefaroplastia tem a ver com a melhora da qualidade.

Quer entender sobre esse procedimento que rejuvenesce, melhora a autoestima e promove saúde para vários pacientes? Então continue lendo este post.

O que é a cirurgia de blefaroplastia?

A blefaroplastia é uma cirurgia que acontece a nível ambulatorial (ou seja, o paciente faz a cirurgia e no mesmo dia volta para casa, sem necessidade de dormir) e tem resultados surpreendentes. Afinal, ela é um procedimento cirúrgico que remove o excesso de pele e gordura presente nas pálpebras — tanto superior quanto inferior, não sendo incomum que seja realizado em ambas.

O objetivo da blefaroplastia é melhorar a aparência da pele descaída ou ptótica que cobre os olhos, além das “bolsinhas” que acabam se formando. Ela pode ajudar a recuperar a visão de pacientes que possuam as pálpebras superiores muito caídas.

Nesses casos específicos, pode haver inclusive perda do campo visual devido ao cobrimento dos olhos pelo excesso de pele e gordura da pálpebra superior.

Em muitas famílias, esse processo pode ocorrer precocemente e em grande quantidade.

Quais são as condições tratáveis pela blefaroplastia?

A blefaroplastia na pálpebra superior

Quando realizada na pálpebra superior, a cirurgia de blefaroplastia vai remover todo o excesso de gordura presente nas pálpebras superiores. Isso modifica aquela aparência de inchaço dessa parte dos olhos.

Além disso, ela consegue remover a pele frouxa que cobre as dobras ou que perturba um contorno mais natural da pálpebra superior.

A blefaroplastia na pálpebra inferior

Quando realizada na pálpebra inferior, é possível remover o excesso de gordura e as rugas finas que podem surgir nessa região dos olhos.

Além disso, pode-se corrigir as bolsas e a queda de pele sob as pálpebras.

As limitações da blefaroplastia

A cirurgia de blefaroplastia não elimina olheiras crônicas, não consegue remover aquelas pequenas rugas que surgem ao redor dos olhos nem tem a capacidade de elevar as sobrancelhas.

Para as melhorias desses e de outros pontos, é necessário combinar outros procedimentos cirúrgicos, como rinoplastia, lifting facial e lifting de sobrancelhas.

É preciso entender, também, que a cirurgia não é indicada em todos os casos. Ela pode ser realizada em pacientes que possuem os músculos e pele da face saudáveis. Nesses casos, a pessoa pode esperar resultados excelentes.

Mesmo sendo uma cirurgia tão pequena, ela pode ser contraindicada no caso de pacientes que possuam patologias que possam atrapalhar o procedimento, principalmente aqueles que apresentam doenças oculares graves.

Como a blefaroplastia é realizada?

Primeiramente, é necessária uma preparação simples antes da realização do procedimento.

É preciso que o paciente realize alguns exames laboratoriais e uma avaliação médica detalhada.

Além disso, também é aconselhável cessar o tabagismo alguns meses antes do procedimento.

LEIA TAMBÉM:  Você sabia que sua visão muda na terceira idade?

É uma cirurgia extremamente simples, indolor, realizada em ambiente ambulatorial (não é necessário dormir no hospital) e apenas com anestesia local. Talvez seja por isso que a blefaroplastia é a cirurgia estética com maior número de procedimentos no mundo inteiro.

Gastando apenas 1,5 hora, todo o procedimento pode ser realizado, inclusive o da blefaroplastia total (isto é, da pálpebra superior e da pálpebra inferior ao mesmo tempo).

No procedimento da blefaroplastia superior, os médicos removem uma dobra horizontal de pele. Portanto a cicatriz que provêm do procedimento fica localizada no decurso de uma prega natural, ficando praticamente “invisível”.

Já na blefaroplastia inferior, a incisão é realizada inferiormente às pestanas. Desse modo, a cicatriz fica encoberta, e o resultado estético é fantástico.

Como é a evolução após a cirurgia?

Após cirurgia, é normal o surgimento de edema e de equimoses no local onde foi realizado o procedimento.

A aparência da região costuma melhorar em torno de 1 semana. No entanto, o resultado completo só pode ser visto com cerca de 3 a 6 meses da realização da cirurgia.

Nas primeiras semanas depois de realizado o procedimento, é corriqueiro que o paciente passe por mudanças na visão e sinta um aumento da sensibilidade à luz. Esses processos são temporários e desaparecem em pouco tempo.

Durante o 1º mês de pós-cirúrgico, é necessário que o paciente utilize óculos escuros para se proteger dos raios UV. Essa parte é fundamental na prevenção do surgimento de manchas indesejadas.

Se o paciente estiver sentindo muita dor e o edema ao redor dos olhos estiver muito evidente, é recomendado o uso de compressas frias, que serão aplicadas no contorno dos olhos de acordo com a orientação do cirurgião.

É muito comum que ocorra sensação de pálpebras secas ou sensação de ardência e de coceira no local, sendo recomendada a utilização de colírios específicos. Se ocorrer sensação de pálpebras apertadas e doloridas, analgésicos devem ser prescritos.

As cicatrizes do procedimento não ficam visíveis, pois serão cobertas pelos sulcos provenientes da pele. E, mesmo antes do resultado, já é possível esconder as imperfeições com maquiagem.

Complicações cirúrgicas são muito incomuns e, quando chegam a ocorrer, em sua maioria, são pequenas e transitórias. As mais comuns são as equimoses, os hematomas e as conjuntivites. Em casos muito raros, o paciente pode necessitar de uma nova abordagem cirúrgica, na qual serão corrigidos um ectrópio (pálpebra para fora) ou uma ptose palpebral (pálpebra caída).

A blefaroplastia é uma cirurgia que devolve juventude a face e proporciona um aumento muito grande da autoestima dos pacientes. Além de ser simples e considerada um procedimento pequeno, trata-se de uma técnica sofisticada e elaborada que deixa cicatrizes praticamente invisíveis.

A cirurgia de blefaroplastia é um procedimento rápido e extremamente eficaz que ajuda a rejuvenescer e melhorar a qualidade de vida dos pacientes. No entanto, é necessário que você procure profissionais de qualidade para a sua realização. Portanto, sempre esteja atento às qualificações do oftalmologista.

E aí, gostou deste post? Aprendeu um pouco mais sobre a cirurgia de blefaroplastia? Então deixe aqui suas dúvidas e comentários!

E não esqueça de visitar o seu oftalmologista de confiança regularmente!

Posts Relacionados

Ricardo Filippo
Oftalmologista
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.