como é feita a cirurgia refrativa a laser

A cirurgia refrativa a laser é uma das melhores opções para quem procura por um procedimento seguro, eficiente e rápido. Justamente por isso, cada vez mais pessoas optam por esta técnica para tratar alterações na visão. Mas muita gente ainda tem dúvidas com relação a quem pode passar por esse procedimento e também sobre como ocorre a realização da cirurgia. Se você é uma dessas pessoas, continue acompanhando o texto e tire suas dúvidas!

Quem deve fazer a cirurgia refrativa a laser?

A cirurgia refrativa a laser é indicada para quem possui erros de refração como:

  • Miopia: pessoas com miopia possuem um “olho mais longo”, que faz com que a imagem se forme antes da retina. Isso causa a dificuldade de enxergar de longe;
  • Astigmatismo: quem tem astigmatismo não vê bem o que está na vertical ou na horizontal, causando a vista embaçada e um ponto a mais de foco;
  • Hipermetropia: geralmente “olhos pequenos”, que fazem que a imagem se forme depois da retina, causando a dificuldade em enxergar de perto.                                                                                                    cirurgia refrativa a laser miopia

No entanto, não basta que a pessoa tenha alguns dos mencionados erros de refração. Alguns critérios precisam ser preenchidos para que possa ser realizada uma cirurgia refrativa a laser. São eles:

  • A idade do paciente deve ser superior a 18 anos;
  • Ele não deve apresentar doenças oculares ou sistêmicas;
  • A paciente não pode estar grávida;
  • O uso das lentes de contato deve ser interrompido com antecedência.

É preciso que o paciente seja aprovado nos exames pré-operatórios. É também durante essa etapa que são tiradas as dúvidas e passadas as orientações, além de ser o momento em que o médico verificará se o paciente é ou não considerado apto para realizar a cirurgia refrativa a laser.

Como esse procedimento é realizado?

catarata cirurgia procedimentoEssa cirurgia realiza uma moldagem da córnea que está afetada, ajustando o grau e melhorando a capacidade de enxergar do paciente. A movimentação do olho é analisada durante todo o processo por um sistema que assegura que o laser será aplicado no local correto, mesmo quando o olho se locomover — o que proporciona resultados excelentes e torna a cirurgia mais segura.

Existem 2 tipos de cirurgias refrativas que são mais comumente realizadas nas clínicas de oftalmologia, que são a LASIK e a PRK, sendo que também pode ser realizada a cirurgia personalizada utilizando qualquer um dos dois métodos.

LASIK

cirurgia refrativa a laserA técnica LASIK é a mais utilizada para cirurgias refrativas em todo o país. Ela consiste na realização de um pequeno corte na córnea em formato de disco, que pode ser levantada como uma escama, para a aplicação do laser na parte central da córnea. O laser então corrige a córnea, melhorando a qualidade da visão do paciente.

Essa técnica é caracterizada por sua rápida recuperação visual e por causar pouco desconforto no pós-operatório.

​PRK

A PRK é uma técnica da cirurgia refrativa a laser, realizada há mais de 20 anos com alta taxa de sucesso. Neste procedimento é realizada a retirada de uma camada superficial da córnea para a aplicação do laser no interior. O laser irá moldar a córnea para reduzir suas falhas e depois, no final da cirurgia, é aplicada uma lente de contato terapêutica.

A grande vantagem da PRK é que ela conta com um altíssimo nível de segurança para pacientes que apresentam córneas mais finas ou com muitas alterações em sua curvatura. A sua única desvantagem é o desconforto que ocorre nos primeiros dias após o procedimento.

Como é a cirurgia refrativa personalizada?

Esse é um novo modelo de cirurgia refrativa, que pode ser realizada no LASIK ou no PRK. A diferença dessa cirurgia para as demais é que ela tira algumas das imperfeições que estiverem presentes na superfície do olho.

LEIA TAMBÉM:  Cirurgia de miopia: qual a idade mais indicada para fazer?

cirurgia refrativa a laser miopia 2Essas imperfeições, que também são chamadas de aberrações, já foram correlacionadas a alguns sintomas pós-operatórios como ofuscamentos e visão embaçada que costumam ocorrer principalmente durante o período da noite.

Para que essas aberrações sejam detectadas, é realizado um exame chamado de aberrometria, que analisa as irregularidades da córnea de cada paciente, fazendo com que cada cirurgia seja diferente uma da outra. Por isso é chamada de personalizada.

Independentemente do tipo de cirurgia refrativa a laser que será escolhido, no geral, esse é um procedimento muito simples e rápido de ser realizado. A anestesia é aplicada em forma de colírio e todo o tempo de cirurgia dura, em média, 5 minutos por olho — um total de 10 a 15 minutos no caso de procedimentos realizados em ambos os olhos.

Não é necessária a realização de internação antes ou após a cirurgia, e o paciente pode ir para a casa imediatamente ao final do procedimento.

Existe algum risco ou dor na realização dessas cirurgias?

Como as 2 técnicas de cirurgia a laser são realizadas com anestésicos aplicados em forma de colírio, o risco de sentir dor durante o procedimento é praticamente zerado, o que traz enorme conforto ao paciente.

Quando a pessoa que opta por realizar esta cirurgia não apresenta nenhum problema de saúde ou limitação que proíba a aplicação dessas técnicas, ela está praticamente livre de qualquer risco durante ou após a cirurgia.

Os percentuais de cirurgias realizadas com sucesso são altos e a maioria dos pacientes consegue ficar livre da dependência do uso de óculos.

Como é o pós-operatório da cirurgia refrativa?

Após a cirurgia refrativa, é comum sentir um incômodo, assim como em qualquer outro procedimento cirúrgico. É comum que na primeira semana sejam sentidos desconfortos, principalmente quando a técnica escolhida é a PRK. Já no LASIK, o desconforto é mínimo.

Para que a recuperação seja realizada rapidamente, é essencial utilizar os medicamentos prescritos por um médico sempre nos horários certos. A recuperação é muito rápida, sendo que em os períodos do retorno às atividades são menores do que muita gente imagina. Veja alguns exemplos:

  • 1 dia: Quando a técnica é a LASIK, é possível voltar a dirigir cerca de 24 horas após o procedimento, porém apenas após uma avaliação pós-operatória para assegurar que já é possível fazê-lo com segurança;
  • 1 semana: nesse período são liberadas atividades que não envolvam contato físico ou exposição ao cloro;
  • 4 semanas: a pessoa já pode voltar a praticar esportes que exijam contato físico com pessoas e objetos.
  • 4 semanas : a pessoa já pode frequentar a praia, piscina, cachoeiras, lagos, lagoas e rios.

Vale lembrar, que é importante estar atento a infecções e irritações que, apesar de serem bastante raras, podem acontecer caso o acompanhamento pós-operatório não seja feito adequadamente. Uma das formas de ficar com infecção é entrando em rios ou no mar, portanto, quando fizer a cirurgia refrativa, fique longe dos dois.liberdade cirurgia refrativa

Após conferir todas essas informações fica fácil perceber que não é preciso ter medo de realizar uma cirurgia refrativa a laser, já que as técnicas hoje são realizadas com tecnologias avançadas e materiais de qualidade.

Você tem alguma dica para a realização de uma cirurgia para correção da miopia, da hipermetropia ou do astigmatismo? Tirou todas as duas dúvidas sobre esse assunto? Compartilhe suas ideias com a gente nos comentários!

Você tem mais dúvidas sobre cirurgia refrativa a laser? Comente e confira também nossos outros posts sobre o assunto:

E não deixe de visitar o seu oftalmologista de confiança regularmente.

Ricardo Filippo
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.