Acidentes oculares mais comuns no dia-a-diaO Conselho Brasileiro de Oftalmologia estima que cerca de 150.000 acidentes oculares ocorrem todo ano no Brasil. A maioria deles acontece com homens de 30 a 40 anos, dentro do ambiente de trabalho — e 85% tem o potencial de deixar sequelas. Mas a boa notícia é que mais de 90% dos acidentes oculares podem ser evitados com medidas de prevenção individual e coletiva.

Quer descobrir quais são os 6 acidentes oculares mais comuns no trabalho e como evitá-los? Então leia este post:

Queimaduras

Seja pela exposição a agentes químicos ou físicos, as queimaduras podem gerar danos irreversíveis. As queimaduras fotoelétricas — consequências do uso inadequado de óculos de proteção no momento da solda, por exemplo — podem gerar sintomas até 12 horas após o ocorrido. Nesses casos, dor muito forte, lacrimejamento, aversão à luz e vermelhidão são as reclamações mais comuns.

As queimaduras térmicas, quando não afetam o globo ocular, podem provocar uma retração das pálpebras, impedindo o fechamento dos olhos e deixando-os susceptíveis a ressecamento e infecções. Já as queimaduras químicas ocorrem devido o contato do olho com substâncias como a soda cáustica. Quando esse acidente ocular acontece, é preciso lavar os olhos com água corrente e abundante imediatamente após o acidente.

Contusõesoftalmologista clínica de oftalmologia

As lesões contusivas se caracterizam por não haver perfuração dos tecidos. Assim, os danos são provocados pelo choque de superfícies. Objetos sem ponta ou o próprio maquinário da empresa são frequentemente os culpados, podendo provocar fratura do osso que sustenta a órbita e aumentar a pressão interna. Os sintomas desses acidentes oculares são visão dupla, perda de sensibilidade em parte da pele do rosto, inchaço de pálpebra, descolamento de retina, olho roxo e sangramentos.

Presença de corpo estranho

Pequenos fragmentos metálicos, poeira e ciscos originados de lixadeiras podem cair no olho do trabalhador, o que dá a sensação de incômodo e sintomas de irritação, como lacrimejamento e vermelhidão. O ideal é procurar o serviço de saúde para retirar o corpo estranho, aplicar um colírio cicatrizante e um antibiótico para reduzir o risco de infecções. Caso a córnea seja lesada, pode haver a formação de uma pequena cicatriz que pode prejudicar a visão.

Perfurações do globo ocular

Objetos pontiagudos, como facas e estilhaços de madeira, metal ou vidro, quando em contato com o olho, perfuram o globo ocular e distorcem toda a anatomia do olho. Nesses acidentes oculares, como o globo ocular está completamente exposto ao ambiente, o acidentado deve ser encaminhado imediatamente para o serviço de saúde — e é proibida a aplicação de qualquer medicamento ou até mesmo de água na ferida sem indicação médica.

Conjuntivite

O ambiente de trabalho pode ser fonte de exposição a alérgenos, como a fumaça e os produtos químicos. Isso contribui para a formação de um quadro de conjuntivite alérgica ou até mesmo para um ótimo cenário de disseminação de conjuntivite infecciosa. Embora esses acontecimentos não entrem no conceito popular de acidente, eles são considerados acidentes de trabalho e devem ser notificados.

Síndrome da visão do computador

não é recomendado coçar os olhosComo muitos trabalhos envolvem ficar horas de frente para o computador, essa síndrome está se tornando cada vez mais comum. Geralmente é caracterizada por cansaço visual, ardência nos olhos, lacrimejamento, visão ofuscada, dor de cabeça e sensibilidade à luz. Para resolver esse problema, basta limitar o tempo de exposição às telas ou ler este post com 5 cuidados com a visão na hora de usar o computador.

Para evitar a maioria desses acidentes oculares, lembre-se de usar o equipamento de proteção individual adequado, com óculos fechados em todos os lados e com lentes resistentes — protegendo completamente seus olhos.

Os primeiros socorros devem sempre levar o acidentado a um serviço de saúde equipado para oferecer atendimento oftalmológico. As únicas exceções são os casos de queimaduras químicas e térmicas, nas quais se recomenda limpar o local com água em abundância e então procurar o serviço de saúde.

Conte para a gente: o que achou deste texto sobre os acidentes oculares mais comuns no trabalho? Já passou por algum deles? O que fez? Registre sua opinião e experiências em nossos comentários!

E não esqueça de visitar seu oftalmologista de confiança regularmente !

 

Posts Relacionados

Ricardo Filippo
Oftalmologista
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.
  • Pingback: O que é esclerite? - Clínica de Oftalmologia Integrada()

  • Pingback: O que é visão subnormal? - Clínica de Oftalmologia Integrada()

  • Pingback: Confira 6 medidas preventivas contra a catarata - Clínica de Oftalmologia Integrada()

  • Pingback: Como prevenir o cansaço visual e não afetar a qualidade do trabalho()

  • Pingback: Olhos roxos: causas, sintomas e tratamento()

  • Pingback: Oftalmologia: como a cegueira pode ser evitada?()

  • Antonio Fernando Navarro

    Alguns “acidentes do trabalho” conduzem o raciocínio à obviedade, como o de queimaduras faciais por eletrocussão, por exemplo, que podem ter, como consequência, o ressecamento ou queimaduras intensas, que, na região em torno dos olhos podem conduzir à opacificação dos cristalinos (anteriormente dita catarata elétrica). Mas, muito se há de pesquisar a respeito de substâncias voláteis dispersas no ar ambiente, para as quais os níveis de proteção dos trabalhadores é sempre baixo, como no caso do benzeno, absorvido pela pele. Nesses casos pesquisas mais acuradas deverão ser empreendidas, pois que os riscos estão sempre presentes. Quanto ao uso dos computadores, lap tops e mais os smart fones, o mal maior pode ser avaliado como o ressecamento da córnea e a iluminação ambiente deficiente, contando o usuário muitas vezes somente com a luminância gerada pela tela do dispositivo. Respeito todas as opiniões, mas fui vítima de descarga elétrica por indução capturada pela haste metálica de óculos, com lentes corretivas para miopia. Um ano depois ambos os cristalinos tiveram que ser removidos através do procedimento de facoemulsificação, na época, 1981, o estado da arte nesse tipo de cirurgia. Protege-se o trabalhador, pontualmente, esquecendo-se que esse pode vira ser afetado por agentes dispersos na atmosfera do ambiente de trabalho.