Descubra o que é calázio e como é possível tratá-lo

Você sabe o que é calázio? Muitas pessoas desconhecem essa palavra ou até ouviram falar, mas não sabem o que quer dizer. Calázio é uma condição oftalmológica chamada de lipogranuloma da glândula meibomiana, ou seja, uma coleção de gordura produzida por glândulas que temos nas pálpebras, conhecidas pelo nome de Glândulas de Meibômio.

Por se localizar nas pálpebras, tanto superior quanto inferior, o calázio pode ser confundido com o terçol, mas existem diferenças entre essas duas doenças. O calázio não é inflamatório nem infeccioso, não envolve bactérias ou vírus, como no terçol, e afeta diferentes glândulas.

Quer saber sobre as causas, sintomas, tratamento e prevenção do calázio? Então, continue acompanhando nosso artigo: vamos falar sobre tudo isso a seguir!

Quais são as causas do calázio?

Como dissemos, o calázio acontece por acúmulo de gordura produzida nas Glândulas de Meibômio. Quando há uma obstrução na saída da secreção dessas glândulas, ou quando a gordura é muito espessa e tende a se acumular, é formado o lipogranuloma gorduroso na pálpebra.

Existem algumas causas relacionadas a doenças da pele, como o eczema seborreico, blefarite crônica e acne rosácea. O surgimento do calázio também costuma ser favorecido no caso de pessoas com histórico de conjuntivites recorrentes.

Quais os sintomas do calázio?

A formação do granuloma leva a um inchaço, podendo acometer principalmente a pálpebra superior, mas também a inferior. Pode acontecer em apenas um dos olhos ou ser bilateral.

A pele palpebral em torno do nódulo poderá tornar-se vermelha, irritada e mais sensível. A dor é um sintoma comum, mas não na mesma intensidade do terçol, que dói mais que o calázio.

Outros sintomas que podem aparecer são:

  • fotofobia (sensibilidade à luz);
  • turvação da visão (dificuldade para enxergar);
  • diminuição da fenda palpebral.

Qual o tratamento para o calázio?

Sempre que sentir sensibilidade nos olhos ou perceber vermelhidão e inchaço nas pálpebras, procure um médico oftalmologista, especialista nas doenças que afetam essa parte do nosso corpo.

O tratamento para calázio envolve medidas não medicamentosas, como aplicação de compressas mornas na região acometida. Em geral, medicações como corticoides e anti-inflamatórios não são necessárias, podendo variar para cada paciente, não sendo uma regra.

O calázio tem evolução espontânea para cura em algumas semanas. Poucos casos evoluem com reincidência e frequência, sendo necessária uma avaliação médica oftalmológica para a cirurgia de desobstrução do ducto da glândula afetada.

O tempo de recuperação no pós-operatório é curto, estando os pacientes liberados para voltarem à sua atividade normal um dia após a cirurgia, após liberação do médico.

Quais as formas de prevenção do calázio?

A principal medida preventiva para o calázio é a higiene, especialmente das mãos. Evite colocar as mãos sobre os olhos, coçar ou espremer qualquer nódulo que apareça na região. Ao aplicar colírios, lembre-se sempre de lavar bem as mãos antes.

Vale lembrar que a oleosidade da pele é um dos mecanismos de bloqueio da saída da secreção na pálpebra. Portanto, é fundamental ter cuidados de higiene com a pele.

Por exemplo, devem-se utilizar sabonetes de pH neutro, que atuam como detergente, ajudando a desobstruir os ductos das Glândulas de Meibômio a fim de prevenir a formação de calázios.

Esperamos que, ao final da leitura, você tenha compreendido melhor o que é calázio, quais são seus sintomas, tratamento e formas de preveni-lo.

Gostou deste conteúdo? Então não perca mais nenhum de nossos artigos curtindo nossas redes sociais. Estamos no Facebook e LinkedIn.

E não esqueça de visitar o seu oftalmologista de confiança regularmente!

André Cezar
Especialista em Plástica Ocular, Vias lacrimais e Órbita
Graduado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora – SUPREMA.
Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre minha experiência na área,
clique aqui.

Posts Relacionados