Descubra o que são moscas volantes e como elas afetam sua visão (2)Na Roma Antiga já havia relatos das chamadas “muscae volitantes”, pequenas alterações na visão com manchas que se movimentam no campo visual. E essas alterações — as moscas volantes — são queixas comuns no consultório da oftalmologia. Afinal, o que são essas manchas? O que causa essas alterações? Há tratamento? Leia este post e saiba a resposta para essas perguntas:

O que são moscas volantes?

As moscas volantes são alterações da visão caracterizadas por manchas escuras de formatos diversos. Elas se movimentam no campo visual, principalmente quando se olha para paredes brancas ou para o céu azul por um longo tempo. As manchas podem ser linhas, pontos ou não terem um formato definido.

Como as moscas volantes surgem?

Embora a impressão é de que as manchas estão na frente do olho, na verdade trata-se de uma alteração dentro do globo ocular, que é preenchido de gel vítreo. O gel vítreo geralmente é uma substância transparente, o que permite a luz atingir a retina. Mas quando se formam grumos nesse gel, criam-se também sombras sobre a retina — e essas sombras são as moscas volantes.

O que causa as moscas volantes?

Os pequenos coágulos podem ocorrer por diversos motivos e na maioria das vezes não são graves. Uma das causas mais comuns é a contração do gel vítreo e o seu descolamento da retina em alguns pontos — o que pode ocorrer naturalmente com o envelhecimento.

No entanto, as moscas volantes também aparecem quando há um rasgo na retina e sangramento para o meio do gel vítreo. Tumores, infecções e processos inflamatórios também podem gerar as moscas. Por isso é importante visitar o oftalmologista para que ele possa descobrir o que está causando o problema.

Quem pode ter moscas volantes?

Qualquer pessoa pode apresentar moscas volantes, mas o quadro se torna mais comum à medida que a pessoa envelhece. É mais frequente também em pessoas míopes, que realizaram cirurgias para catarata ou que apresentam algum processo inflamatório no olho.

Como o diagnóstico é feito?

exame oftalmológico detecta a doençaUm simples exame do fundo de olho — aquele em que o médico aplica um colírio para dilatar a pupila — pode ser suficiente para descobrir a causa das moscas volantes. Se o oftalmologista achar necessário, pode ser feito também um ultrassom ocular.

Como tratar as moscas volantes?

Se o oftalmologista não encontrar nenhuma alteração grave no olho, não há porque tratar as moscas volantes. Se elas incomodarem muito, pode-se movimentar o olho de um lado para o outro e de cima para baixo por alguns minutos, tentando retirar os grumos do campo visual. Tratamentos cirúrgicos com a retirada e troca do gel vítreo ou destruição a laser dos grumos são possíveis, mas não chegam a ser recomendados devido ao risco de complicações.

Caso seja identificada alguma alteração específica, ela deve ser tratada para resolver as moscas volantes e impedir a evolução da lesão. Por exemplo: se há um rasgo na retina, é preciso selar a região com laser ou crioterapia, para que a lesão não expanda e provoque um descolamento de retina.

Você sabia que as moscas voltantes também são comuns em pacientes com enxaqueca? Leia mais sobre como a dor de cabeça está ligada a problemas de visão neste post. Aproveite para nos contar: o que você achou deste post? Deixe um comentário!

E não esqueça de visitar o seu oftalmologista de confiança regularmente !

Posts Relacionados

Ricardo Filippo
Oftalmologista
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.