O que é daltonismo?

O que é daltonismoVocê conhece alguém que tem dificuldade em diferenciar certas cores, sobretudo o verde e o vermelho? O daltonismo é um desses quadros de que todo mundo já ouviu falar, mas poucos efetivamente sabem o que ele é. Quer conhecer um pouco mais sobre o tema, seus tipos, causas e tratamentos? Então leia o texto a seguir e confira:

O que é?

O daltonismo é uma condição que influi na capacidade visual, fazendo com que o paciente tenha uma deficiência na identificação de algumas cores especificas. O nome surgiu em homenagem ao químico inglês John Dalton, que foi o primeiro cientista a estudar as características desse mal.

Quais são os tipos de Daltonismo

Existem três formas de daltonismo:

Protanopia

É a variante mais comum e tem como característica marcante a dificuldade ou incapacidade de identificar o vermelho. Em seu lugar, quem sofre da doença costuma enxergar as cores marrom, cinza ou verde, mas, em regras gerais, isso pode variar de acordo com a intensidade do vermelho no objeto em questão. Outra particularidade é que, para essas pessoas, a cor verde acaba ficando semelhante ao vermelho também, de modo que as duas cores são confundidas com frequência.

Deuteranopia

Quem tem esse tipo de daltonismo não consegue distinguir o verde. Porém, da mesma maneira que na protanopia, a tonalidade acaba ficando parecida com o marrom na interpretação desse individuo. Isso é especialmente complicado quando o portador observa uma árvore, por exemplo: acaba ficando tudo em uma coloração parecida, com pouca diferença de tonalidade entre folha e tronco.

Tritanopia

Esse é o tipo mais raro de daltonismo. Ele influencia a diferenciação das tonalidades de amarelo e azul. Uma pessoa que possui essa condição consegue visualizar o azul apenas quando ele aparece em tonalidades diferentes. Já a cor amarela se transforma em uma espécie de rosa claro aos olhos dessas pessoas. A cor laranja também não é identificada por quem tem tritanopia.

Veja agora mesmo em nosso vídeo exclusivo como que o daltônico vê o mundo:

Quais são as causas do daltonismo?

O daltonismo é um distúrbio genético ligado daltonismo verde vermelhoao cromossomo X, o que explica sua maior incidência entre pessoas do sexo masculino.

A condição afeta os genes que são responsáveis pelos cones — as células nervosas da retina que permitem identificar e diferenciar cores. No entanto, não são apenas os fatores genéticos que podem desencadear o mal: diversas doenças podem alterar essas células e causar algum tipo de dificuldade do tipo.

Entre as causas mais comuns estão:

  • A diabetes;
  • o mal de Alzheimer;
  • a doença de Parkinson;
  • alguns tipos de leucemia;
  • e a anemia falciforme;
  • além de doenças dos olhos, como a degeneração macular;
  • e o glaucoma.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico do daltonismo é feito mais comumente através do teste de senso cromático (Teste de Ishihara).

Nesse teste são mostradas ao pacientes diversos cartões com pontilhados coloridos em várias tonalidades diferentes. Neles podemos ter figuras geométricas (para pessoas não alfabetizadas), letras ou números, dependendo do teste realizado.

O paciente não daltônico consegue visualizar facilmente as imagens. Porém, o paciente daltônico terá dificuldades de enxergar corretamente a imagem, não sendo raro, trocar um número pelo outro.

Veja agora mesmo um vídeo online do Teste de Ishihara ou Teste do Daltonismo:

Como é o tratamento?

O daltonismo não tem cura, mas existem alguns tratamentos paliativos que podem reduzir os sintomas e minimizar suas consequências. Existem óculos especiais e até algumas lentes de contato que auxiliam os portadores a distinguir um pouco melhor as cores das quais têm dificuldade de identificação.

Se você possui dificuldades em distinguir cores ou conhece alguém que tenha, não hesite em buscar a ajuda de um oftalmologista. Somente ele pode fazer o diagnóstico correto e indicar os tratamentos cabíveis.

Comente com as suas dúvidas sobre a doença ou entre em contato conosco para marcar uma consulta!

Ricardo Filippo
Especialista em Cirurgia Refrativa a Laser e Ceratocone
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.

Posts Relacionados