O que é o exame de mapeamento de retina?

A oftalmologia é um campo da medicina que está em constante aprimoramento tecnológico. Novas técnicas, procedimentos e intervenções são desenvolvidos a cada dia com o objetivo de tratar e diagnosticar condições clínicas de uma estrutura tão complexa como o olho.

O mapeamento de retina é um exemplo de inovação no que diz respeito aos exames de diagnóstico em oftalmologia, sendo um procedimento relativamente novo. Ele fornece um nível de detalhe bastante considerável, sendo um diferencial em relação aos exames oftalmológicos tradicionais.

Você já ouviu falar do mapeamento de retina? Gostaria de saber mais sobre como esse procedimento funciona e para que serve? Então, acompanhe o artigo completo que preparamos sobre o assunto!

Veja agora mesmo nosso vídeo explicativo sobre esse exame:

O que é o mapeamento de retina?

O mapeamento de retina é um exame rápido, indolor e de alta tecnologia que permite a obtenção de imagens de alta resolução das retinas. Estas são membranas finas localizadas no fundo do globo ocular e responsáveis por captar a luz, transformando-a em estímulo nervoso para o cérebro.

A partir da análise detalhada do fundo do olho e suas estruturas mais periféricas, é possível diagnosticar possíveis alterações e, assim, decidir pela conduta clínica mais adequada. O exame é considerado complementar e, como veremos mais adiante, pode identificar complicações na retina causadas por outras doenças.

Como o exame é realizado?

O exame é realizado por meio do oftalmoscópio e dura em torno de 3-5 minutos. Esse instrumento possui uma lente com angulação própria e incide uma luz clara a uma distância de aproximadamente 15 cm em relação ao fundo do olho.

Antes de iniciar o procedimento, colírios dilatadores de pupila são administrados ao paciente. Dessa forma, é possível observar as estruturas internas do olho minuciosamente com o auxílio da lente, o fornecimento de claridade e a dilatação da pupila.

Por que o mapeamento de retina é importante?

Curiosamente, a retina é a única parte do corpo humano em que os vasos sanguíneos podem ser visualizados diretamente. Isso permite que sinais de diversas doenças sejam detectados por meio da observação de alterações no fundo do olho.

É o caso, por exemplo, de doenças como diabetes (que pode manifestar a retinopatia diabética), hipertensão e problemas sanguíneos. A detecção precoce dessas condições é fundamental para que os tratamentos sejam iniciados e conduzidos da melhor maneira possível.

E como é de se imaginar, o mapeamento de retina também detecta alterações oculares. Quadros clínicos como glaucoma, tumores, lesões e degenerações da retina e estruturas internas do olho são observados durante o exame.

Além disso, prematuros com peso menor ou igual a 1,5kg ou com idade igual ou inferior a 32 semanas devem ser submetidos ao mapeamento de retina durante a 4ª semana de vida. Essas orientações foram elaboradas pelo Ministério da Saúde e têm o objetivo de detectar e tratar possíveis quadros de retinopatia em bebês prematuros.

Qual é o preço médio do procedimento?

O preço médio do mapeamento de retina varia entre R$ 100,00 a R$ 300,00 e depende da cidade onde é realizado. Ademais, o procedimento geralmente é coberto por planos de saúde.

É importante que os pacientes que apresentam fatores de risco para as condições mencionadas ou problemas oculares realizem o exame pelo menos uma vez por ano. A frequência será estabelecida pelo médico de acordo com as condições, idade e histórico dos indivíduos.

Como podemos observar, o mapeamento de retina é um procedimento relativamente simples e rápido. No entanto, apresenta um papel relevante na detecção e acompanhamento das evoluções de certas doenças e problemas oculares.

Compreendeu a importância do exame e como ele é realizado? Então, continue aprimorando seus conhecimentos sobre a saúde ocular assinando a nossa newsletter!

 

Mario Filippo
Especialista em Cirurgia Refrativa a Laser e Ceratocone
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.

Posts Relacionados