saiba tudo sobre o que é pterígioO pterígio é uma membrana composta por tecido fibroso e vasos sanguíneos que crescem no canto dos olhos, geralmente pertinho do nariz, e partem em direção à córnea. Se não tratado, o pterígio pode causar astigmatismo, vermelhidão e sensação de areia nos olhos. Já sentiu algum desses sintomas? Então venha aprender mais sobre essa doença tão comum e tão pouco conhecida!

Quais são as causas do pterígio?

A causa mais comum é a exposição contínua e crônica dos olhos à luz solar, especialmente sem a proteção adequada, como óculos de sol de boa qualidade. Outro fator que contribui para a formação do pterígio, conhecido popularmente como “carne de olho”, é a exposição direta ao vento e à poluição.

pterigio exposiçao solar

Como ele ocorre?

Tanto a exposição solar crônica como a agressão do vento sobre os olhos faz com que tenha início uma reação inflamatória na esclera (parte branca dos olhos) e na conjuntiva (membrana fina localizada logo acima da esclera e na parte interna das pálpebras). Essa inflamação resulta na formação de um tecido fibrótico (duro e elevado), por processo de cicatrização, e de vasos sanguíneos. Esse tecido de cicatrização parte de um dos cantos dos olhos (geralmente do canto medial, próximo ao nariz) para o centro, onde estão localizadas a córnea e a pupila. Ele pode ocorrer em somente um ou nos dois olhos simultaneamente.

Os sintomas mais frequentes do pterígio são vermelhidão, causada pela formação de novos vasos, ardência, coceira, lacrimejamento e sensação de corpo estranho nos olhos, como se eles estivessem cheios de areia. O primeiro sinal mais visível percebido pelo paciente normalmente é o crescimento de uma membrana avermelhada sobre a parte branca dos olhos.

O que o pterígio pode causar?

Sua principal complicação, que se configura até como indicação cirúrgica, é o comprometimento visual, que pode resultar em astigmatismo (dificuldade em focalizar objetos de perto e longe). Isso acontece porque o pterígio nasce no canto e migra em direção ao centro dos olhos, crescendo sobre a conjuntiva. Em uma determinada região dos globos oculares, chamada de limbo, a conjuntiva termina e a córnea (lente não vascularizada, por onde os raios solares incidem e passam para a pupila) começa, para enfim atingir o fundo do olho e formar as imagens.

Quando muito desenvolvido, o pterígio atravessa o limbo e atinge a córnea, o que repuxa e destorce a mesma, desencadeando uma curvatura anormal e levando ao aparecimento do astigmatismo. Caso o pterígio continue migrando para o centro, pode atingir a pupila e impedir que os raios solares passem normalmente por ela, comprometendo ainda mais a visão (já que o pterígio forma uma barreira na frente da visão, atrapalhando-a).

Qual o aspecto do olho após o pterígio? Como é o diagnóstico?

pterigio

Como o pterígio tem um aspecto semelhante a um pequeno tumor invadindo a íris e modificando a função visual, muitas pessoas podem ficar excessivamente preocupadas. Por isso, não é hora para conclusões precipitadas. Como dissemos, as alterações visuais ocorrem pela deformação da córnea, que causa astigmatismo. Procure um médico e não fique se preocupando com doenças mais graves como câncer antes de receber o diagnóstico adequado do seu oftalmologista.

Essa doença, muitas vezes, pode ser confundida com o pseudopterígio e a pinguécula, que é uma elevação amarela na conjuntiva, que não chega a invadir a córnea, gerando, assim, menos inconvenientes visuais e tratamento diferente.

Como prevenir o pterígio? Quais são as dicas para evitá-lo?

Precisam ter um cuidado maior para prevenir essa doença pessoas que trabalham ao ar livre, com alta exposição ao sol, ao vento e à poeira. Um dos grupos mais afetados por ela são aqueles com pessoas que trabalham em praia, como surfistas, vendedores ambulantes, atendentes e garçons.

A melhor recomendação é o uso de óculos de sol, que é uma barreira física contra o vento e a poeira, além de oferecer uma proteção contra as radiações do espectro ultravioleta (UVA e UVB). No entanto, lembre-se que não será nem um pouco eficaz comprar um óculos falsificado (na verdade, já é sabido que é preferível não utilizar nada do que utilizar óculos de sol falsificados ou de camelô), com uma lente que não foi testada para garantir sua eficácia em relação à proteção contra raios solares prejudiciais.

Uma recomendação especial é direcionada a quem anda de motocicleta. O ideal é andar com o capacete sempre fechado. Se preferir deixá-lo aberto, deverá proteger os olhos de alguma forma. O vento atingindo diretamente os olhos causa ressecamento e uma irritação crônica, facilitando o surgimento do pterígio. Utilizar a lágrima artificial também pode ser uma exclente saída.

moto pterigio

Qual a primeira medida a ser tomada?

Vale ressaltar que todas essas medidas também devem ser tomadas por pacientes que já desenvolveram o pterígio, de modo a desacelerar ao máximo a progressão da doença. A melhor medida para combater o pterígio é mesmo a prevenção. Assim, o ideal é sempre evitar a exposição contínua ao sol, lançando mão de artigos como bonés, chapéus e principalmente óculos solares com lentes de qualidade e filtro de raios UV. A

Exposição contínua ao vento intenso também pode agravar o pterígio, de maneira que, para quem anda de carro ou moto, vidros fechados e capacete com viseira abaixada são fundamentais.

Quais são os tratamentos possíveis?

O principal tratamento é a exérese do pterígio, ou seja, retirá-lo cirurgicamente. Mas devido ao alto índice de pacientes que voltam a ter a doença, as técnicas para essa remoção ainda estão sendo aperfeiçoadas.

A atualização mais recente consiste na retirada do pterígio por meio de transplante de conjuntiva e sua fixação através de pontos ou até mesmo de cola específica para isso. Outro novo procedimento é o transplante com membrana amniótica, retirada de placenta, que tem propriedades anti-inflamatórias e antibióticas, contribuindo, por isso, para a aceitação do enxerto pelo corpo. Além disso, colírios e tratamento com radiação são outras opções terapêuticas.

Algumas cirurgias são bastante rápidas, inclusive. Algumas técnicas exigem somente uma anestesia local e duram cerca de 30 minutos. O paciente deve ficar apenas um tempo curto de observação no consultório, para verificar a evolução após o procedimento. Entretanto, a internação é desnecessário e ele poderá voltar as suas atividades normais no outro dia, desde que tome os cuidados necessários!

Vale ressaltar quais são as principais indicações de se realizar a cirurgia de pterígio:

1) Incômodo muito grande dessa patologia na vida do paciente, de modo que diminua a qualidade de vida do portador (vermelhidão intensa, coceira grande, lacrimejamento intenso, irritação severa, dentre outros sintomas), transformando a vida do paciente num verdadeiro tormento;

2) Diminuição importante da visão mesmo com o uso de óculos de grau, situação esta em que a membrana inflamatória cresce tanto que fica na frente da pupila (“menina dos olhos”) do paciente, impedindo o mesmo de enxergar de maneira satisfatória e apropriada;

3) Motivos estéticos, quando a vermelhidão é tão grande que aborrece o paciente ou o coloca em situações delicadas, por estarem sempre com os olhos vermelhos, chamando a atenção de todoas as pessoas que o cercam.

Vale lembrar que todos os tipos de tratamentos devem sempre ser indicados a critério do oftalmologista responsável pelo diagnóstico, dependendo, obviamente, do grau da doença e dos sintomas.

Agora que você sabe mais sobre pterígio e como evitar contraí-lo, entenda o que é herpes ocular e como identificá-la!

Posts Relacionados

Ricardo Filippo
Oftalmologista
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.