criança precisa usar óculos escurosAssunto muito controverso entre as conversas das mamães é a necessidade de utilizar óculos escuros para crianças. Algumas acreditam que haja um exagero sobre essa recomendação, outras entendem ser apenas um acessório de moda e existem aquelas que não abrem mão de colocar em suas crianças.

O fato é que vivemos em um país com alta incidência de luz solar durante todo o ano e os efeitos nocivos de sua exposição são percebidos em todas as faixas etárias. E como as crianças são mais sensíveis, precisam de cuidados personalizados.

Por isso, neste post mostraremos pontos importantes para que você decida sobre a utilização ou não dos óculos escuros para crianças. Acompanhe conosco e tire suas próprias conclusões.

Por que usar óculos escuros em crianças?

A Sociedade Brasileira de Oftalmologia recomenda a utilização desse acessório desde a primeira infância. O ideal é começar a colocar o acessório nas crianças nos momentos de distração e orientá-las sobre a importância do uso conforme a idade.

Os benefícios vão além da proteção contra os raios UVA e UVB. O uso de óculos escuros protege contra o aparecimento precoce de catarata, doenças da retina, degeneração da mácula e outras enfermidades que podem causar cegueira.

Além disso, esse acessório forma uma barreira física e impede a entrada de areia, água de piscina, poeira, dentre outros.

Saiba como comprar os óculos escuros

É importante adquirir óculos em lojas de boa procedência, por isso dispense ofertas de vendedores ambulantes na praia ou nos parques.

Prefira óculos escuros de tonalidade intermediária, pois os extremos de cor costumam cansar a visão das crianças. Opte também por óculos com protetores nas laterais para resguardar essa área também.

Certifique-se de que eles conferem proteção contra os raios UVA e UVB. Algumas lojas fazem, no momento de aquisição do produto, o teste que assegura essa proteção.

Cuidados para manter a qualidade dos óculos escuros

Os oftalmologistas recomendam a utilização na praia, piscina ou passeios ao ar livre. Podem ser adquiridos óculos para crianças a partir dos 6 meses de idade, além de boné ou chapéu para maior proteção contra o sol.

Para crianças menores de um ano, coloque os óculos por alguns minutos antes de sair de casa para que ela se acostume com o novo visual. Para as crianças maiores de 2 anos, explique a necessidade de utilização de forma simples e lúdica e deixe que ela se habitue ao artefato.

LEIA TAMBÉM:  Como detectar problemas na visão das crianças?

Após o uso, lave com água e sabonete líquido e deixe secar naturalmente. Isso porque, na maioria das vezes, esse acessório pode conter resquícios de protetor solar, que tende a ser oleoso. Guarde nas caixas apropriadas para evitar arranhões e outros danos.

Consulte regularmente um oftalmopediatra

Além das questões clínicas que motivaram a consulta, é importante solicitar informações sobre a necessidade de usar óculos escuros, bem como as recomendações específicas sobre o tema.

A consulta ao oftalmologista pediátrico deve fazer parte da rotina de cuidados preventivos das crianças.  A primeira consulta se refere ao teste do olhinho e depois é recomendável visitas aos 3, 5 e 7 anos, caso não apresente problemas visuais ou tenha histórico familiar de doenças oculares congênitas.

O uso de óculos escuros para crianças pode ser considerado fundamental para algumas mães e opcional para outras, mas o oftalmologista pediátrico é o profissional mais adequado para tirar as dúvidas em relação ao tema. Além disso, é sempre bom considerar as precauções de utilização para os adeptos desse objeto.

Por isso, tome uma decisão embasada em informações relevantes que assegurarão o conforto e segurança para o seu filho. Caso deseje mais informações, deixe seu comentário abaixo!

E que tal ler um pouco mais sobre as crianças em nossos artigos relacionados:

E não esqueça de consultar o seu oftalmologista de confiança regularmente!

Posts Relacionados

Ricardo Filippo
Oftalmologista
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.