Dê sua nota!

Conforme os dias frios vão se aproximando, é comum que nosso corpo comece a manifestar certas alterações. Além dos problemas respiratórios, alguns problemas também afetam a saúde ocular no inverno. Mas, você sabe por que ficamos mais suscetíveis às doenças oftalmológicas durante essa época?

Leia este post e entenda porque temos mais predisposição para desenvolver complicações oculares durante o período de baixas temperaturas. Saiba também quais as principais doenças associadas à época mais fria do ano e como elas devem ser tratadas.

Como fica a sua saúde ocular no inverno?

Adorado por uns, malquisto por outros, o inverno divide os gostos e opiniões. Há quem ame o clima mais frio, as noites agradáveis com cobertores quentinhos, o vestuário e a culinária típica dessa estação. Por outro lado, muitas pessoas se incomodam com as mudanças climáticas, principalmente por causa das alterações que ocorrem na saúde.

E não são apenas os conhecidos sintomas de gripes e resfriados que se apresentam no inverno. A saúde dos olhos também é bastante afetada, isso porque as pessoas ficam mais propensas às complicações oftalmológicas nessa época.

As doenças oculares podem se manifestar em qualquer estação do ano. No entanto, o inverno é propício para que elas se desenvolvam mais facilmente, devido a fatores como: baixa umidade, redução da lubrificação natural dos olhos, permanência em ambientes fechados e presença de ácaro em cobertores e casacos.

Por esses motivos, é importante dedicar mais atenção à saúde da visão e procurar um oftalmologista ao sinal de alguma irritação nos olhos. As complicações oculares que se manifestam com mais frequência durante o frio são:

Conjuntivite

Esse problema é caracterizado por uma inflamação na conjuntiva (parte branca dos olhos). A conjuntivite pode ser causada por vírus e bactérias, ou pode fazer parte de um quadro alérgico — neste último caso, não há risco de contágio.

Os principais sintomas são coceira, vermelhidão, inchaço nas pálpebras, lacrimejamento, secreção e sensação de areia nos olhos. O tratamento depende do tipo da doença. Em geral, é recomendado o uso de colírios e, em alguns casos, antibióticos.

Alergias oculares

As alergias oculares no inverno são comuns em pessoas que já apresentam quadros alérgicos, como rinite. Em geral, elementos como fumaça, poeira e a presença de ácaros são fatores que agravam essa condição.

Coceira, ardência e olhos vermelhos e irritados são alguns dos sintomas. Para tratar o problema de forma efetiva, o ideal é buscar ajuda com um oftalmologista e um alergista.

Herpes

O vírus que causa o herpes labial também pode afetar os olhos, causando sintomas como dor, ardência, lacrimejamento, vermelhidão, visão turva e fotofobia.

O tratamento é definido de acordo com o aspecto geral do quadro. Mas, na maioria dos casos, colírios, pomadas e medicamentos antivirais são eficazes.

Síndrome do olho seco

Esta doença ocular é identificada pela alteração na quantidade ou na qualidade da lágrima, isto é, baixa produção lacrimal ou alguma carência em seus componentes. Os sintomas incluem ardência e irritação nos olhos, sensação de areia e embaçamento, sensibilidade à luz, lacrimejamento, vermelhidão e coceira.

Para o tratamento, o médico pode orientar o uso de lubrificantes, higiene ocular e ingestão de alimentos com ação antioxidante.

Para prevenir esses problemas oftalmológicos, algumas medidas simples podem ajudar, como: evitar ambientes com acúmulo de poeira; ser cuidadoso com a higiene dos olhos e das mãos; umidificar o quarto com um balde com água ou uma toalha molhada, caso não tenha umidificador.

Você viu quantos problemas podem afetar a sua saúde ocular no inverno? Por isso, fique atento aos primeiros sinais de que algo não está bem com a sua visão e procure um oftalmologista. Preze pela saúde dos seus olhos!

O que você achou dessas informações? Você também sofre com problemas de saúde ocular no inverno? Deixe aqui o seu comentário e divida a sua opinião e a sua experiência conosco.

Posts Relacionados

Ricardo Filippo
Especialista em Cirurgia Refrativa a Laser e Ceratocone
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.