X

Ceratocone cega? Esclareça essas e outras dúvidas sobre a doença

Ainda pouco conhecida, o Ceratocone é uma doença degenerativa ocular não inflamatória que atinge a espessura e o formato da córnea, deixando mais fina e com um formato cônico e irregular. Na fase inicial, se apresenta com um astigmatismo irregular, o que leva o paciente a trocar o grau dos óculos frequentemente. Por isso, muitas pessoas têm dúvidas se o Ceratocone cega a pessoa acometida pela doença.

Na realidade, a doença pode causar uma distorção significativa da visão, como grande intolerância à luz e também a formação de múltiplas imagens. Assim, o problema pode preocupar muitas pessoas, necessitando do diagnóstico precoce para interromper a progressão e permitir um tratamento seguro e bem-sucedido.

Neste post, vamos esclarecer se o Ceratocone pode levar à cegueira e outras dúvidas sobre a doença. Confira!

Quais são os sintomas?

O primeiro sinal da doença é a necessidade de aumentar frequentemente a gradação das lentes dos óculos, devido ao aumento do astigmatismo ou da miopia. Depois, o sintoma principal é a visão distorcida e borrada, tanto para perto quanto para longe.

Alguns pacientes podem relatar casos de visão duplicada, sensibilidade à luz, coceira frequente, percepção de múltiplas imagens de um mesmo objeto e manchas brancas na córnea. Esses sintomas são consequência das alterações estruturais que acontecem na região e que podem deixá-la mais sensível e fina.

O Ceratocone tem cura?

A doença pode apresentar um tratamento e controle satisfatório, capaz de melhorar muito a qualidade de vida das pessoas. No entanto, não há cura até o momento. Por ter sintomas similares a outras condições clínicas oftalmológicas mais simples, a doença precisa sempre ser diagnosticada e examinada precocemente pelo oftalmologista responsável pelo paciente.

Quais são os principais tratamentos?

O principal objetivo do tratamento é possibilitar uma boa visão ao paciente, além de garantir conforto e preservar a saúde da córnea. As escolhas do tratamento são avaliadas na seguinte ordem: uso de óculos, adoção de lentes de contato e os procedimentos cirúrgicos, como o crosslinkinganel de ferrara e o transplante de córnea.

Óculos

A primeira alternativa é o uso de óculos e, na maioria das vezes, no início da doença. Isso acontece quando o astigmatismo irregular ainda é baixo e é viável obter uma boa visão com o uso de lentes corretivas externas.

Lentes de contato

Quando o uso de óculos já não fornece uma visão adequada, a lente de contato é a próxima opção. Geralmente, utiliza-se a lente rígida gás permeável, que proporciona uma visão melhor e assegura a saúde fisiológica da córnea.

Crosslinking

O procedimento de crosslinking é indicado quando há uma piora do quadro de ceratocone. O tratamento consiste na raspagem da superfície da córnea e na aplicação de uma solução de riboflavina, que é a vitamina B2. Em seguida, aplica-se uma luz ultravioleta A e, no final, uma lente de contato gelatinosa é colocada na região para auxiliar na cicatrização.

Anel de ferrara

O anel de ferrara tem por objetivo diminuir e regularizar a curvatura corneana, e consequentemente, melhorar a visão. O anel estromal é implantado no estroma da córnea por meio da confecção de um túnel, que pode ser feito manualmente ou por meio do laser de fentosegundo. Com isso, o anel é implantado e não há necessidade de pontos ao final.

Essa técnica é indicada para quem tem intolerância ao uso de lentes de contato rígidas e que não tenham boa visão com os óculo.

Transplante de córnea

O transplante de córnea é o último recurso do tratamento da doença, quando as demais técnicas descritas não são suficientes. A cirurgia consiste em substituir uma parte da córnea afetada por outra saudável, com o intuito de melhorar a visão ou corrigir perfurações oculares.

A doença pode causar cegueira?

O Ceratocone em estágio avançado pode causar piora considerável na visão, podendo chegar a níveis considerados como cegueira (cegueira legal), apesar de isso ocorrer apenas raramente. Diferente de outras doenças, como o glaucoma, o Ceratocone pode ser tratado com o transplante de córnea. Além disso, os pacientes começam o tratamento antes de perderem parcialmente a visão.

Se você tinha dúvidas se o Ceratocone cega, saiba que a doença tem tratamento, que pode melhorar (e muito) a qualidade de vida dos pacientes. Por isso, se você apresenta algum sintoma, como imagens fantasmas, fotofobia e coceira frequente nos olhos, não deixe de consultar um oftalmologista que poderá indicar o melhor tratamento para você!

Quer se informar mais sobre a doença? Então, confira o post que detalha os sintomas do Ceratocone.

Especialista em cirurgia de catarata e ceratocone
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.
Categories: Ceratocone e Crosslinking
Guilherme Quinellato :Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área, clique aqui.