A cirurgia refrativa é definitiva?

A cirurgia refrativa é definitiva?

Pessoas que têm miopia, hipermetropia ou astigmatismo podem realizar a chamada cirurgia refrativa para corrigir esses problemas. Uma das maiores dúvidas sobre esse assunto é: essa cirurgia é definitiva? Mas a resposta para essa pergunta é: depende! 

Para entender um pouco mais sobre esse procedimento cirúrgico, preparamos um texto completo. Continue com a gente para conferir as informações e tirar todas as suas dúvidas sobre a cirurgia. 

O que é cirurgia refrativa?

Antes de tudo, precisamos entender o que é essa cirurgia. 

A cirurgia refrativa é um procedimento que tem o objetivo de corrigir os erros de refração. Esses erros ocorrem quando o feixe de luz que forma as imagens na nossa visão é desviado e acaba chegando de maneira desfocada na retina. 

Realizada com laser, essa operação é simples, rápida e pouco invasiva. O equipamento utilizado é um dos mais seguros da medicina e contém luz ultravioleta. Baseada na formação específica de cada olho, a cirurgia realiza a correção da refração.

Apesar de ser tranquila e segura, é necessário estar atento ao planejamento inicial e ao pós-operatório. Inclusive, é preciso realizar uma avaliação anteriormente, para que tudo seja realizado de maneira correta. 

Alguns procedimentos e exames que devem ser feitos antes da cirurgia são: 

  • Análise da espessura e formato da córnea
  • Análise da pressão ocular
  • Exame de grau dos óculos
  • Topografia da córnea 
  • Mapeamento de retina 
  • Interrupção do uso de lentes de contato alguns dias antes da cirurgia
  • Entre outros

Os exames realizados são de extrema importância. Isso porque os dados oriundos deles são inseridos no equipamento de laser utilizado na cirurgia. Assim, as informações serão mais precisas, tornando o procedimento mais seguro. 

Como é o pós-operatório

Alguns sintomas comuns podem acontecer após a cirurgia. Mas eles costumam passar em cerca de dois dias. São eles: 

  • Dores
  • Vermelhidão
  • Irritação ocular
  • Inchaço 
  • Sensação de areia 
  • Sensibilidade à luz. 

Caso essas sensações não passarem, o ideal é entrar em contato com o médico de maneira imediata. 

Mas e então, o grau volta a crescer após a cirurgia?

Depois de entender um pouco mais sobre como funciona o procedimento da cirurgia refratária, podemos compreender melhor a resposta dessa pergunta.

Se o paciente estiver com o grau dos problemas estabilizado, as doenças não voltam a aparecer. Ou seja, a cirurgia será definitiva. Porém, caso o grau não esteja estabilizado, a doença continuará progredindo. 

Por isso é necessário realizar o exame de grau dos óculos anteriormente. Assim, será possível detectar se é o momento correto para a cirurgia ou não. 

Além disso, o ideal é sempre acompanhar o desenvolvimento da saúde dos olhos com um oftalmologista. Apenas ele poderá indicar se há chances ou não de realizar o procedimento. 

Outro motivo que pode fazer com que o grau de miopia volte a aparecer é o descuidado com os olhos. A exposição em frente a aparelhos eletrônicos, celulares e computadores, por exemplo, é uma dessas faltas de cuidado. Aliás, esse tipo de problema causa a Síndrome do Olho Computador. 

Alguns dos sintomas desse problema são: 

  • Visão embaçada ou dupla
  • Indução de miopia
  • Dor de cabeça
  • Lacrimejamento e coceira
  • Sensibilidade à luz
  • Dificuldade de conseguir foco
  • Olhos irritados ou vermelhos.

Técnicas para a cirurgia refrativa

Não existe apenas uma técnica para realizar a cirurgia refrativa. Na verdade, após os exames e análises iniciais, é definida a técnica que mais combina com o tipo de situação. 

PRK (CERATECTOMIA FOTORREFRATIVA)

Nessa técnica, o tecido corneano (epitélio) tem sua camada mais externa raspada para que a aplicação do laser seja feira. Após isso, é inserida uma lente de contato para que a cicatrização aconteça de forma mais saudável e o incômodo pós-operatório diminua. 

De acordo com os Arquivos Brasileiros de Oftalmologia (volume 71), uma pesquisa mostra que 94,3% dos pacientes consideraram que a sua visão havia melhorado após o PRK. 

CIRURGIA REFRATIVA CUSTOMIZADA

No caso dessa operação, o procedimento é customizado, sendo mais preciso e personalizado para cada tipo de olho. Essa é uma nova tecnologia baseada no sistema de comprimento de ondas (Wave-Front). 

Esse é um tipo de cirurgia ainda menos invasiva, já que ela realiza apenas uma varredura de pequenos defeitos na superfície da córnea. 

LASIK (LASER ASSISTED IN SITU KERATOMILEUSIS)

 

O LASIK também é outro procedimento bastante utilizado nesses casos. Com ele, é feito um corte fino no epitélio (chamado de flap) para que o laser consiga chegar à camada mais interna. Ou seja, não há a retirada do epitélio da córnea, sendo também mais simples. 

Assim como o PRK, o objetivo é remodelar a curvatura da córnea para tratar a refração.

Está com algum incômodo ou tem alguma dúvida? Busque um médico!

Se ainda há qualquer dúvida sobre a cirurgia, o ideal é buscar opinião médica. Em qualquer idade, a prevenção é essencial! Por isso, a Clínica de Oftalmologia Integrada (COI) está sempre disponível para te atender. Entre em contato com um de nossos atendentes e marque uma consulta.

 

Ricardo Filippo
Especialista em Cirurgia Refrativa a Laser e Ceratocone
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.