Como é o pós-operatório da cirurgia de catarata?

A catarata é uma doença caracterizada pela opacificação do cristalino, que são lentes naturais presentes em nossos olhos, responsáveis pela focalização das imagens que enxergamos. Como consequência dessa condição, o paciente apresenta perda na qualidade da visão, geralmente com sensação de turbidez e enevoamento.

A catarata é principal causa de cegueira reversível no mundo. O tratamento da doença consiste na realização de cirurgia, um procedimento de pequeno porte, rápido e indolor. Cerca de 30 minutos após a operação, o paciente recebe liberação para voltar para casa e iniciar os cuidados pós-operatórios.

Confira nosso vídeo exclusivo sobre a moderna cirurgia de catarata por facoemulsificação:

Vale destacar que, independentemente de quão avançada está a catarata, a cirurgia pode ser indicada, não sendo necessário esperar até que a doença se agrave. A indicação ocorre após consulta e diagnóstico feito por um médico oftalmologista, em acordo com o quadro de cada paciente. Geralmente, os dois olhos são operados em épocas diferentes, garantindo a qualidade da visão e a boa recuperação.

Apesar de ser um procedimento tranquilo e com índices de sucesso bastante elevados, a cirurgia da catarata ainda desperta muitas dúvidas nas pessoas, especialmente em relação a possíveis complicações no pós-operatório.

 

Conheça as restrições do pós-operatório da cirurgia de catarata

Para garantir uma boa recuperação e reduzir ao máximo possíveis riscos que possam comprometer os resultados da cirurgia, é importante que o paciente siga à risca as recomendações da equipe médica, tomando a medicação indicada e utilizando corretamente os colírios receitados.

No entanto, há também uma série de restrições a que a pessoa operada deve estar atenta. As principais são:

 

1. Evitar atividades físicas

Assim como acontece com qualquer cirurgia, é fundamental que o paciente respeite o período de recuperação estipulado pelo médico.

Nesse sentido, deve-se evitar a realização de quaisquer atividades físicas de maior intensidade. Além disso, é importante evitar carregar peso e baixar a cabeça, por exemplo.

Esse tipo de esforço aumenta o fluxo sanguíneo e pode trazer desconfortos ao paciente, alterar a pressão intraocular e até mesmo deslocar a lente intra-ocular.

 

2. Não coçar os olhos

O processo de cicatrização da incisão para retirada do cristalino afetado pela catarata pode causar uma sensação de coceira no olho operado. Porém, o paciente deve evitar mexer na região, garantindo a boa recuperação e a qualidade dos resultados da cirurgia.

 

3. Não dirigir no primeiro dia

Apesar de receber alta no mesmo dia, a pessoa que se submeteu ao procedimento de retirada da catarata não está autorizada a dirigir após a cirurgia. Isso acontece porque, no primeiro dia, o olho operado ainda está se adaptando à colocação da lente intraocular e, assim, a visão do paciente ainda apresenta-se levemente turva. Além disso, é comum que a pessoa saia com um tampão, para proteger a região da entrada de sujeira e de pequenos impactos.

 

4. Evitar entrar em piscinas e banheiros

Embora o paciente esteja liberado desde o início para tomar banho no chuveiro, é preciso evitar submergir-se em piscinas ou banheiras, por exemplo. Isso é fundamental para reduzir o risco de infecções e consequentes complicações que podem ocorrer.

 

Quais as possíveis complicações que podem ocorrer no pós operatório?

Cirurgias são procedimentos invasivos e, como tais, estão sujeitas a complicações. Embora sejam muito raros, alguns problemas podem surgir no pós-operatório da cirurgia de catarata. São eles:

 

Edema Macular Cistóide

Trata-se de um processo inflamatório que leva a inchaços na região da mácula, localizada no fundo dos olhos. Essa complicação pode surgir no período de até 6 semanas após a realização da operação e seu principal sintoma é vista embaçada e a consequente redução da acuidade visual do paciente.

O tratamento é feito com uso de anti-inflamatórios e corticóides.

 

Edema de córnea

Em pacientes que já apresentavam alguma doença corneana antes da realização da cirurgia de catarata, a córnea também pode ser acometida por um processo inflamatório exagerado, resultando em seu inchaço e, como consequência, tornando a visão turva.
O tratamento é feito por meio do uso de colírios e o problema costuma sumir dentro de pouco dias.

 

Endoftalmite

Trata-se de uma infecção desencadeada pela entrada de micro-organismos no olho operado. A endoftalmite é uma condição bastante rara, mas que, se não receber o devido tratamento, é grave e deve ser tratada assim que for diagnosticada. Dentre seus principais sintomas, estão dor, perda na qualidade visual, vermelhidão e inchaço das pálpebras.

O tratamento consiste no uso de colírios e outros antibióticos para controle da quadro infeccioso. Apesar de grave, o problema costuma ser controlado em poucos dias.

 

Descolamento da retina

Também considerado uma condição rara, o descolamento da retina é uma complicação grave e pode surgir anos após a realização da cirurgia de catarata. Como sintomas, o paciente pode apresentar uma redução da acuidade visual, bem como passar a enxergar flashes de luz e as chamadas moscas volantes, que são manchas escuras que parecem se mover em frente aos olhos.

Para evitar o problema, são realizadas avaliações pré-operatórias com o objetivo de reduzir as chances de ocorrer o descolamento e também é feito o tratamento de possíveis lesões existentes na retina.

 

Cuidados que previnem as complicações após a cirurgia de catarata

Como comentamos, para uma plena recuperação, é essencial que o paciente siga todas as recomendações passadas pela equipe médica para evitar complicações e garantir que a cirurgia seja, de fato, bem sucedida.

Sendo assim, além das restrições que elencamos anteriormente, existem alguns cuidados que a pessoa operada deve tomar. Os principais são:

 

1. Usar os colírios indicados pelo médico

O pós-operatório da cirurgia de catarata é feito, basicamente, com o auxílio de colírios, sejam eles anti inflamatórios ou antibióticos. Desse modo, é primordial que eles sejam aplicados corretamente, de modo a proteger os olhos de possíveis inflamações e infecções que podem levar a quadros mais graves.

Vale destacar que somente colírios receitados pelo oftalmologista devem ser utilizados, seguindo a indicação de posologia e duração da aplicação. Para o uso de qualquer outro medicamento fora da lista indicada, deve-se consultar o médico responsável.

 

2. Não usar maquiagem

Quem tem o hábito de usar maquiagem deve evitá-la por, pelo menos, 10 dias após a cirurgia. Certos produtos, como cosméticos em pó, podem causar irritações no olho operado, podendo também levar a contaminações e infecções.

 

3. Ter cuidado com a cabeça

Além de evitar gestos como baixar a cabeça, é preciso que paciente tenha atenção na hora de deitar-se. Durante o período de recuperação, indica-se que a pessoa durma de barriga para cima, com a cabeça levemente elevada. Caso tenha o hábito de dormir de lado, o ideal é que o paciente deite-se sobre o lado oposto ao olho operado, evitando eventuais traumas.

A cirurgia da catarata é um procedimento altamente seguro e eficaz. As complicações que citamos ao longo do texto são bastante raras e, de uma maneira geral, o paciente que segue à risca as recomendações do oftalmologista recupera-se rapidamente e sem maiores problemas. De fato, o grande risco não está na realização da cirurgia, mas sim no agravamento da doença, que, vale lembrar, pode levar à cegueira.

 
banner pré consulta catarata

 
Por fim, vale ressaltar que o pós-cirúrgico da cirurgia de catarata é tão tranquilo que é possível comer normalmente (sem nenhum tipo de restrição alimentar), além de ler e trabalhar em frente ao computador. Basta respeitar o período de descanso e a aplicação dos colírios para que a recuperação seja realizada com sucesso. Além disso, se algum problema surgir, você deverá visitar o oftalmologista para uma consulta.

Ficou com alguma dúvida ou quer saber mais sobre este procedimento? Você pode baixar gratuitamente o e-Book Guia Definitivo da Catarata e ficar por dentro de todas as informações relacionadas à doença e à cirurgia. E para quem está localizado na Zona Oeste do Rio de Janeiro e está interessado em uma consulta de rotina, marque seu horário com a COI e tenha um diagnóstico completo.

Guilherme Quinellato
Especialista em cirurgia de catarata e ceratocone
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.

Posts Relacionados