7 tipos de colírio: quais são e para o que servem?

Quando sentimos algum desconforto nos olhos, a sensação é terrível. Isso porque nossos olhos estão em um local muito sensível do nosso corpo, que precisa de cuidados específicos, dependendo do tipo de problema que tiverem. Por conta disso, existem tipos de colírios diferentes para cada um dos problemas. 

Para saber qual dos tipos utilizar, o ideal é consultar um especialista no assunto. Mas para facilitar o entendimento, trouxemos 7 tipos de colírios mais comuns. 

Como usar os tipos de colírios corretamente?

Independentemente do tipo de colírio que se utilize, é necessário tomar alguns cuidados. Por isso, antes mesmo de apresentar cada um dos tipos, vamos dar algumas dicas de como utilizar esse medicamento.  

  • O ideal é realizar a aplicação enquanto estiver deitado; 
  • Não encostar a ponta do frasco em nenhuma superfície;
  • Não utilizar uma quantidade maior do que o indicado pelo médico; 
  • Não deixar o colírio aberto após o uso;
  • Não utilizar nenhum tipo de colírio sem indicação médica.

Todas essas dicas são fundamentais para proteger os olhos dos pacientes, que são locais muito sensíveis. Utilizar o colírio de forma incorreta pode acarretar na contaminação do local, piorando a situação. 

De maneira geral, os colírios são utilizados para alergias, infecções, ressecamentos e muitos outros problemas. Por conta disso, existem diversos tipos de colírios, um para cada tipo de situação.  

1. Lubrificantes

Também chamado de lubrificante ocular, o colírio lubrificante é utilizado, principalmente, para tratar a síndrome dos olhos secos. Problemas que causam ressecamento, ardor, sensação de areia, irritação ou corpo estranho também podem ser resolvidos com esse tipo de colírio. 

Pessoas que utilizam lentes nos olhos muitas vezes sentem os olhos mais secos. Dessa forma, utilizam muito esse tipo de colírio.

Apesar de ser vendido sem obrigação de receita médica, ainda sim o ideal é visitar um oftalmologista antes de adquirir o produto. 

2. Vasoconstritores

Sabe quando os olhos ficam vermelhos por conta de um dia inteiro na piscina? Então. Os colírios vasoconstritores tem a função de diminuir essa vermelhidão. Isso porque eles contraem os vasos sanguíneos do local, fazendo com que a aparência vermelha desapareça instantaneamente. 

Apesar de ter um preço acessível e não necessitar de receita médica para a compra, a indicação é utilizar apenas com indicação médica. Caso contrário, o uso de maneira incorreta pode causar danos permanentes nos vasos sanguíneos, fazendo com que os olhos permaneçam vermelhos definitivamente. 

3. Antibióticos

Quanto estamos com alguma infecção no nosso corpo, tomamos antibióticos para combater as bactérias. O mesmo acontece com nossos olhos. Assim, os colírios antibióticos são utilizados para tratar infecções oculares. Chamadas de conjuntivites bacterianas, essas doenças causam desconforto, inflamação, pus e inchaço. 

Esse tipo de colírio está, normalmente, associado a anti-inflamatórios. Nesse caso, é necessário ter receita para comprar o medicamento. 

4. Anti-inflamatórios

Os tipos de colírios anti-inflamatórios são utilizados, geralmente, para terçol, conjuntivites virais ou crônicas ou para ceratite (inflamação na córnea). Pessoas que passaram por cirurgias também utilizam esse tipo de colírio para se recuperarem. 

Isso porque esse tipo de colírio auxilia na recuperação da córnea, acelerando sua recuperação e facilitando a cicatrização. Além disso, como o próprio nome diz, é uma forma eficaz de controlar inflamações.

5. Anestésicos

Normalmente utilizados antes de exames e cirurgias, os colírios anestésicos tem a função de eliminar dores e sensações extremas. Por ser um medicamento ainda mais sério, é necessário ser utilizado apenas por médicos e com muito cuidado. Caso contrário, é possível se machucar gravemente com esse tipo de colírio. 

Para proteger os olhos, evite coçar e esfregar. Após o uso dos anestésicos, a facilidade de machucar o local é muito maior.

6. Antialérgico

Coceira, conjuntivite, irritação, vermelhidão e inchado. Todos esses sintomas podem ser aliviados com esse tipo de colírio. As alergias, portanto, atingem uma pele fina que protege os olhos, chamada de conjuntiva. Assim, a irritação é certa. 

Aliás, alergias nos olhos são muito mais comuns do que imaginamos. Cosméticos, lentes e até mesmo a poeira do dia a dia pode causar esse tipo de problema. Assim, o ideal é procurar um oftalmologista para analisar o caso e indicar qual é o melhor tipo de colírio a ser utilizado. 

7. Para glaucoma

Quem tem glaucoma, precisa utilizar colírios específicos para os olhos. Como essa doença não tem cura, uma das formas de realizar o tratamento é utilizando colírios. Eles visam diminuir a pressão intraocular. Assim, previnem a cegueira completa que pode ser causada pelo glaucoma.

Inclusive, como o glaucoma é uma doença que não tem cura, o ideal é que seja descoberto o quanto antes, para que se possa utilizar os medicamentos adequados para reduzir os problemas. 

É importante relembrar que a indicação mais importante é apenas utilizar colírios por meio de receita médica. A Clínica de Oftalmologia Integrada (COI) realiza consultas e pode te ajudar com isso! Entre em contato com um de nossos atendentes. Não deixe para se cuidar amanhã.   

Ricardo Filippo
Especialista em Cirurgia Refrativa a Laser e Ceratocone
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.