Como a diabetes pode afetar a visão?

Como a diabetes pode afetar a visão: A saúde dos olhos é uma preocupação frequente e necessária de pessoas que têm diabetes. De acordo com o Ministério da Saúde, quem tem a doença possui 40% mais chance de ter glaucoma e 60% mais chance de ter catarata

Nesse texto, vamos falar um pouco sobre essas complicações e explicar porque a diabetes pode afetar a visão. 

O que é a diabetes?

A diabetes e uma doença que faz com que o corpo não produza, produza menos ou não absorva insulina. Assim, como a insulina regula a glicose no sangue, essa má absorção ou produção insuficiente faz com que o organismo não possua tanta energia quanto necessário.

Por conta da insulina não quebrar as moléculas de glicose, há o aumento de glicemia no corpo. Esse problema pode trazer complicações, como:

  • Problemas de coração
  • Problemas nos rins
  • Problemas nas artérias
  • Problemas nos nervos 
  • Problemas na visão. 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, cerca de 422 milhões de pessoas têm diabetes em todo o mundo. Apenas no Brasil, são 14 milhões de diabéticos. 

Outros dados ainda são alarmantes. Segundo a Sociedade Brasileira de Oftalmologia, 40% de indivíduos com diabetes podem sofrer com alterações oftalmológicas. A seguir, vamos explicar os motivos para esses acontecimentos. 

Diabetes e visão: por que há problemas?

Com a falta de insulina, as células de glicose não são quebradas. Isso pode causar um acúmulo de açúcar (glicemia) no sangue, caso não seja tratado corretamente. Esse acúmulo também é chamado de hiperglicemia. 

A hiperglicemia traz efeitos negativos em diversos locais do corpo. Alguns deles são os vasos sanguíneos dos olhos, que afetam a visão. 

Mas calma, se você cuida bem da sua diabetes e da sua taxa de glicemia, os problemas oculares podem ter menos gravidade ou podem nem aparecer. Acompanhando a qualidade da sua visão frequentemente com um oftalmologista, é mais fácil manter as complicações sob controle.

Além disso, existem formas de se cuidar e evitar problemas de visão para quem é diabético: 

  1. Ter um plano de alimentação saudável, indicado por médicos e nutricionistas
  2. Praticar atividades físicas
  3. Tomar a medicação corretamente
  4. Não fumar
  5. Ficar atento à taxa de glicose
  6. Observar lesões ou inchaço nos pés e nas unhas

Segundo André Gomes, presidente da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV), em entrevista para o Portal Drauzio Verella, o ideal é fazer exames anuais, como o mapeamento da retina.

Tipos de doenças oculares causadas pela diabetes

Existem três tipos de doenças oculares que podem ser causadas pela diabetes: a retinopatia diabética, o  glaucoma e a catarata

Retinopatia diabética

Alguns problemas de retina são causados pela diabetes. Eles são genericamente chamados de retinopatia diabética. Porém, existem dois tipos que são mais comuns: o não-proliferativo e o proliferativo.

O primeiro faz com que os vasos sanguíneos que se encontram atrás dos olhos (chamados de capilares) inchem, formando pequenas bolsas. Quando isso acontece, as paredes desses vasos acabam não conseguindo controlar a passagem de substâncias. 

Assim, o fluido vaza dentro da mácula, causando o edema macular (que pode finalizar em visão embaçada ou, até mesmo, na perda total da visão). 

Se não tratada de maneira correta, a retinopatia diabética pode se tornar proliferativa, que é o segundo tipo. Nesse caso, os capilares acabam sendo totalmente obstruídos. Para tentar melhorar o problema, o organismo faz com que novos vasos nasçam. 

Porém, os novos capilares, por serem fracos, se “quebram”, causando hemorragia vítrea. Além disso, podem também distorcer a retina e causar glaucoma.

Confira agora mesmo um vídeo sobre como tratar a retinopatia diabética corretamente:

Glaucoma

O glaucoma é outra doença ocular comum em pessoas que possuem diabetes. Ele acontece quando há pressão elevada nos olhos, o que faz com que a drenagem de humor aquoso se torne mais lenta. 

Essa lentidão faz com que os vasos sanguíneos se comprimam e, assim, não consigam transportar sangue para a retina. Por fim, é possível que haja perda total ou gradual da visão. 

Catarata

Quando o cristalino (a lente mais clara do olho) fica opaca, chamamos de catarata. Isso faz com que a luz seja bloqueada e a visão seja impedida. 

Quem tem diabetes precisa estar bastante atento à essa doença ocular. Isso porque ela atinge mais pessoas e costuma progredir mais rápido. 

Tratamentos para doenças oculares causadas pela diabetes

Apesar de serem doenças sérias, as três doenças (tanto a retinopatia, quanto o glaucoma e a catarata) têm tratamento. Porém, caso as pessoas não façam acompanhamentos frequentes com oftalmologistas, podem chegar à cegueira. 

No caso da retinopatia diabética, o tratamento vai depender da fase em que a doença está. Em estágios iniciais, o monitoramento se baseia no acompanhamento com o médico, a dieta, exercícios físicos e o controle da glicose e da pressão arterial.

Porém, em caso de edema macular, o tratamento pode ser um pouco mais rigoroso. Cirurgia a laser ou fotocoagulação são algumas opções. Em caso de hemorragia vítrea, a vitrectomia (que também é uma cirurgia) pode auxiliar na melhora da visão. 

Quando falamos em glaucoma, o tratamento inicial deve ser feito por medicamentos. O objetivo é impedir que a doença avance, segundo  a Sociedade Brasileira de Glaucoma. Os medicamentos são indicados de acordo com cada paciente.

Caso os remédios não sejam suficientes, pacientes com glaucoma podem optar pelas cirurgias. 

O tratamento para a catarata também é cirúrgico, sendo a única opção para quem tem a doença. Esse é um procedimento bem simples e rápido, que visa substituir o cristalino. A anestesia é local e o paciente não sente nenhuma dor. 

Para cuidar da saúde dos olhos, a melhor escolha é fazer acompanhamento médico. A Clínica de Oftalmologia Integrada (COI) está aqui para te ajudar! Entre em contato com um de nossos atendentes e marque uma consulta.

 

Ricardo Filippo
Especialista em Cirurgia Refrativa a Laser e Ceratocone
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.