Dor nos olhos: o que pode ser? Conheça as principais causas!

A dor nos olhos pode ocorrer tanto na superfície, na região que circunda os olhos ou no interior de estruturas internas do globo ocular. Esse problema pode surgir devido a alterações na parte exterior do olho ou nas regiões mais internas. Além da dor, as pessoas podem apresentar outros sintomas, como queimação e coceira.

As principais causas são o cansaço, uso inadequado dos óculos (óculos de camelô ou farmácia com o grau errado), conjuntivite, olho seco ou alguma doença que esteja causando a dor. Geralmente, a sensação de olhos cansados e o esforço para enxergar são sintomas que podem passar com algumas horas de descanso e sono.

No entanto, caso a dor e a sensação de incômodo sejam persistentes, fortes ou acompanhadas de falhas na visão, é essencial procurar um oftalmologista, para que ele possa avaliar a causa do problema.

Neste post, vamos apresentar quais são e como tratar as principais causas de dores nos olhos. Confira!

O que pode causar dor nos olhos?

Em pessoas saudáveis, as causas mais comuns e menos graves são olhos secos, conjuntivite e corpo estranho. Depois, a uveíte, a celulite orbitária e o glaucoma agudo são as causas mais graves do problema.

Olho seco

Os olhos podem ficar ressecados devido a diversos motivos que alteram a composição e qualidade da lágrima, responsável pela lubrificação do globo ocular. O desconforto causado pelo olho seco pode começar lentamente, e gradualmente a dor surge, como se um corpo estranho ou cisco estivesse na córnea.

Esse problema pode causar sensação de queimação e agulhadas, principalmente em ambientes com ar-condicionado. Em alguns casos, os olhos ressecados podem provocar uma abrasão (descamação) da córnea, pois não há lágrimas suficientes sobre a superfície do olho.

Assim, é preciso utilizar colírio (lágrima artificial) para auxiliar na lubrificação do globo ocular. O colírio pode diminuir a vermelhidão, mas não trata a causa. Por isso, é muito importante marcar uma consulta com um oftalmologista para uma orientação mais adequada.

Conjuntivite

A conjuntivite é caracterizada por uma inflamação da conjuntiva (membrana branca que reveste o olho) e superfície interior das pálpebras, o que causa inchaço, vermelhidão e secreção. Esse problema pode ser de origem bacteriana, viral ou alérgica, podendo ser transmitido facilmente para outras pessoas, nos dois primeiros casos.

O tratamento inclui uso de analgésicos, antibióticos e anti-inflamatórios em casos de conjuntivite bacteriana. Além disso, dependendo do tipo de conjuntivite, o médico pode recomendar compressas frias, que aliviam os sintomas.

Corpo estranho

Corpos estranhos podem causar dor nos olhos ao piscar. Os mais comuns são lascas de metal, serragem, areia, entre outros. O desconforto provocado por um corpo estranho na córnea varia de leve a grave, e a dor é descrita como uma pontada.

Assim, corpos estranhos requerem atenção de um oftalmologista, pois o material que é incorporado à córnea pode provocar uma infecção ocular grave. A maioria dos corpos estranhos pode ser removida no consultório médico por meio de instrumentos adequados. Além disso, colírios antibacterianos podem ser prescritos para prevenção.

Uveíte

A uveíte é um problema que causa inflamação da úvea, parte do olho composta pelo corpo ciliar, íris e coroide. Em casos raros, também pode atingir o nervo óptico e a retina. As causas podem ser de origem infecciosa (protozoários, vírus, fungos e bactérias), autoimune ou desconhecidas.

A uveíte é caracterizada pela vermelhidão que provoca nos olhos, mas pode gerar, também, fotofobia, dor atrás dos olhos, manchas escuras, visão embaçada e turva, pupila irregular, entre outras. A úvea é o tecido responsável pelo fluxo sanguíneo das estruturas do olho. Logo, quando inflamada, a dor nos olhos costuma ser bastante intensa.

Celulite orbitária

A celulite orbitária é uma infecção ou inflamação que se localiza no olho ou ao redor dele. Mais comumente, ela é provocada por uma infecção bacteriana. As bactérias colonizam a pele após um trauma ocular, sinusite ou uma espinha que foi mexida sem uma higiene adequada.

Os principais sintomas são inchaço, dor ao deslocamento dos olhos e dificuldade para movimentar o globo ocular. A evolução do diagnóstico da doença é tão grave, que, se a presença for confirmada, o médico deve iniciar o uso de antibióticos. Em casos mais severos, a internação imediata com o uso de medicações venosas pode ser necessária.

Assim, quando os sintomas do problema se manifestam, é preciso procurar um atendimento médico o mais rápido possível.

Glaucoma agudo

O glaucoma é uma doença grave que apresenta evolução progressiva e não tem cura. Ele acontece quando o nervo óptico, responsável por ligar os olhos ao cérebro, sofre danos constantes em decorrência do aumento de pressão intraocular. No caso do glaucoma agudo, a pressão aumenta de forma rápida e súbita.

Os principais sintomas são tontura, dor nos olhos, diminuição da acuidade visual e dor de cabeça e ao redor do olho acometido. Esses sintomas são sinônimos de emergência, por isso, é preciso iniciar o tratamento imediato para prevenir cegueira ou danos irreparáveis.

O que é preciso fazer para amenizar e prevenir a dor nos olhos?

É importante deixar claro que não é recomendado lavar os olhos e nem colocar uma compressa. A única atitude a ser tomada é repousar e procurar um oftalmologista o mais rápido possível para diagnosticar a dor e tratá-la de forma adequada, de acordo com sua causa.

Assim, cada problema apresenta um tratamento diferente, por isso, é preciso que o profissional estabeleça o tipo de tratamento mais adequado para o paciente.

Quando é preciso procurar um médico?

A partir do momento em que a pessoa começa a sentir dor nos olhos, já pode ser um quadro grave. Assim, não é recomendado aguardar para perceber quando o problema precisa de um acompanhamento médico.

Por isso, é preciso consultar um oftalmologista imediatamente, pois, dependendo do diagnóstico, o paciente pode perder a visão, se não começar um tratamento imediato.

Como é o diagnóstico da dor frequente nos olhos?

Alguns dos exames que são realizados para verificar o estado do olho do paciente são:

  • teste de acuidade visual, que avalia se houve uma redução da visão;
  • biomicroscopia, que verifica se há alguma inflamação, infecção e olho seco;
  • medida da pressão intraocular, um dos principais parâmetros para acompanhamento e diagnóstico do glaucoma;
  • exame de fundo de olho, que avalia a retina central e periférica.

Como foi visto, a dor nos olhos é um problema que pode ser causado por diversas doenças. Por isso, não deixe de marcar uma consulta com o seu oftalmologista de confiança, para que ele possa realizar exames preventivos e, com isso, detectar um possível problema.

Gostou deste conteúdo? Tem alguma dúvida? Quer saber quais são os principais tratamentos que oferecemos em nossa clínica? Então entre em contato com a nossa empresa. Será um prazer atendê-lo!

Mario Filippo
Especialista em Cirurgia Refrativa a Laser e Ceratocone
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.

Posts Relacionados