Moscas volantes: você sabe o que são?

Você já teve a sensação de que há pontinhos pretos na sua visão? Saiba que isso não é muito incomum. Chamados de moscas volantes, esses pontinhos estão no vítreo do globo ocular quando há o deslocamento dele e aparecem principalmente em locais de muita claridade. 

O vítreo é formado por 99% de água. Ou seja, ele é como um gel que fica em contato com a retina e com o cristalino. Quer entender um pouco mais sobre esse assunto e saber mais sobre as tais moscas volantes? É só continuar a leitura. 

Por que as moscas volantes são formadas?

Ao nascermos, o nosso vítreo é um gel espesso. Isso faz com que ele se prenda com mais facilidade à retina. Porém, com o passar dos anos e o envelhecimento do corpo, nosso vítreo vai se tornando cada vez mais líquido. 

Assim, ele acaba se descolando de alguns pontos da retina, o que forma as moscas volantes. 

Esse descolamento parcial pode causar algumas frações no vítreo, que também são chamadas de grumos. Em nosso campo visual, enxergamos as sombras desses grumos, o que nos lembra insetos ou teia de aranha. 

A sensação é que há pequenas mosquinhas voando em torno da visão, mas a realidade é que esses pontos estão na parte interna dos olhos. 

As moscas volantes são preocupantes?

De maneira geral, os sintomas causados pelo descolamento parcial de vítreo não são tão preocupantes. Porém, o ideal é realizar acompanhamento médico para estar atento a complicações mais sérias. Algumas delas são: 

  • Deslocamento de retina – esse é um dos problemas mais graves quando o assunto são as moscas volantes. Isso porque as lesões nos olhos podem causar o descolamento de retina total ou parcial, sendo necessário tratamento cirúrgico. 
  • Retina rasgada – com o descolamento do vítreo de algumas partes da retina, alguns pedaços podem acabar causando buracos e rasgos na região. Além das moscas, flashes luminosos também podem ser sintomas.
  • Catarata – caracterizada pela perda de transparência do cristalino, a catarata pode ser causada pela vista cansada ao longo dos anos. Assim, com o envelhecimento, ela é mais frequente. 
  • Inflamações mais sérias – as uveítes (inflamatórias da retina) podem apresentar sintomas como coceira, dor, inchaço, vermelhidão e as moscas volantes.
  • Hemorragias – o descolamento de vítreo é uma das condições que podem causar sangramentos na cavidade vítrea. 

Assim, quando houver um aumento no número de moscas volantes, um maior cansaço nos olhos ou a fotopsia (flashes de luz), a busca por um oftalmologista é recomendada. 

Para analisar a gravidade e a situação dos olhos e do vítreo, o médico realizará o mapeamento de retina. Assim, a procura por lesões mais sérias é feita e, sequencialmente, tratada. 

É necessário tratamento? 

Como o descolamento de vítreo não é um problema grave, não há tratamento específico para ele. Apesar de as moscas volantes serem um tipo de problema incômodo para algumas pessoas, ele não é perigoso, como dissemos logo acima. 

Porém, quando há complicações, como o deslocamento de retina, o ideal é realizar o tratamento cirúrgico da maneira mais rápida possível. Nesse caso, existem dois tipos de procedimentos: a retinopexia ou a vitrectomia. 

No primeiro caso, é realizada a drenagem do vítreo. Assim, coloca-se um implante de silicone, que realizará a reaproximação entre as partes descoladas da retina. No segundo caso, há a retirada do vítreo (em parte ou de maneira completa), substituindo-o por um gel lúcido estéril. 

É claro que o ideal é sempre se prevenir. Por isso, realizar exames oculares com frequência é fundamental para evitar qualquer procedimento mais invasivo e manter a saúde dos olhos. Outras formas de cuidar dos olhos regularmente são: 

  1. Proteger os olhos do sol
  2. Estar atento ao histórico ocular da família
  3. Não utilizar colírios sem indicação médica
  4. Ter cuidado com o uso excessivo de computadores e celulares
  5. Não colocar as mãos nos olhos
  6. Não fumar
  7. Diminuir a quantidade de açúcar

Grupo de risco

Apesar de ser um tipo de problema muito comum, há um grupo de risco que tem mais possibilidades de desenvolver as moscas volantes. 

No início do texto, dissemos que as moscas volantes aparecem de maneira mais frequente ao longo do envelhecimento do corpo. Dessa maneira, o primeiro grupo de risco são as pessoas acima de 50 anos, que precisam estar mais atentas a esse descolamento de vítreo. 

O segundo grupo de risco são as pessoas idosas com 80 anos ou mais devem, que necessitam cuidar ainda mais da saúde dos olhos, principalmente quando falamos em descolamento de vítreo.  

Pessoas míopes, independente da idade, são o terceiro grupo de risco. Por fim, pessoas que já foram submetidas à cirurgia de catarata, retina ou tiveram inflamação da úvea (uveíte), também estão mais propícios a apresentarem as moscas volantes.

Não esqueça do auxílio médico!

Em qualquer idade, a prevenção é essencial! Por isso, a Clínica de Oftalmologia Integrada (COI) está sempre disponível para te atender. Entre em contato com um de nossos atendentes e marque uma consulta.

Ricardo Filippo
Especialista em Cirurgia Refrativa a Laser e Ceratocone
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.