O que é daltonismo?

Você conhece alguém que tem dificuldade em diferenciar certas cores, sobretudo o verde e o vermelho? Sabe o que é daltonismo? Embora seja um desses quadros de que todo mundo já ouviu falar, poucos efetivamente sabem o que ele é.

Para você conhecer um pouco mais sobre o tema, você verá, neste post, quais são os principais tipos, causas e tratamentos para a doença. Assim, você terá mais condições para cuidar dos seus olhos.

Quer saber se você é daltônico? Então, confira agora mesmo como fazer o teste. Boa leitura!

O que é daltonismo?

O daltonismo é uma condição que influi na capacidade visual, fazendo com que o paciente tenha uma deficiência na identificação de algumas cores especificas. O nome surgiu em homenagem ao químico inglês John Dalton, que foi o primeiro cientista a estudar as características desse mal.

Como é desenvolvido?

O daltonismo pode acontecer de duas formas distintas: congênito ou adquirido. No primeiro caso, o paciente já nasce com uma disfunção na retina. O problema acomete, principalmente, os homens, caracterizando, normalmente, a dificuldade em ver cores vermelhas e verdes.

Como a doença, nesse caso, é hereditária e relacionada ao gene do cromossomo X, os homens são os mais afetados, já que possuem pares XY (somente um cromossomo X). Por outro lado, para que as mulheres (que têm pares XX) manifestem o problema, ambos os genes precisam ser portadores da doença (o que é muito raro). No caso em que apenas um gene tem a doença, a mulher será portadora, mas não a desenvolverá.

No segundo caso, o daltonismo surge de causas secundárias, ou seja, sem origem genética. Esses problemas podem ser causados por lesões no nervo ótico, no córtex cerebral (região do cérebro que é responsável por reconhecer as imagens) ou na retina.

Nessa segunda condição, esse tipo de doença é desenvolvido com a mesma frequência em mulheres e homens. Esses pacientes têm maior dificuldade em enxergar tons de azul e podem sofrer com uma visão prejudicada.

Quais são os tipos de daltonismo?

Existem três formas de daltonismo:

Protanopia

É a variante mais comum e tem como característica marcante a dificuldade ou a incapacidade de identificar o vermelho. Em seu lugar, quem sofre da doença costuma enxergar as cores marrom, cinza ou verde, mas, em regras gerais, isso pode variar de acordo com a intensidade do vermelho no objeto em questão.

Uma particularidade é que, para essas pessoas, a cor verde acaba ficando semelhante ao vermelho, também, de modo que as duas cores são confundidas com frequência.

Deuteranopia

Quem tem esse tipo de daltonismo não consegue distinguir o verde. Porém, da mesma maneira que na protanopia, a tonalidade acaba ficando parecida com o marrom na interpretação desse indivíduo.

Isso é especialmente complicado quando o portador observa uma árvore, por exemplo: acaba ficando tudo em uma coloração parecida, com pouca diferença de tonalidade entre folhas e tronco.

Tritanopia

Esse é o tipo mais raro de daltonismo. Ele influencia na diferenciação das tonalidades de amarelo e azul. Uma pessoa que tem essa condição consegue visualizar o azul apenas quando ele aparece em tonalidades diferentes.

Já a cor amarela se transforma em uma espécie de rosa claro aos olhos dessas pessoas. A cor laranja também não é identificada por quem tem tritanopia.

Veja agora mesmo em nosso vídeo exclusivo como que o daltônico vê o mundo:

Quais são as principais dificuldades de um daltônico?

Pessoas daltônicas podem ter grandes dificuldades para trabalhar em algumas profissões, como: motoristas profissionais, pilotos e atiradores.

Ainda que não seja adequado que os daltônicos tenham funções que exijam a diferenciação perfeita das cores (como pilotos de avião), não há grande limitação para as pessoas que queiram tirar sua carteira de motorista, uma vez que é possível fazer a associação da ordem das cores com o significado.

Além disso, situações corriqueiras do dia a dia se tornam mais complexas. Combinar roupas para sair de casa pode ser uma atividade complicada. Além disso, crianças podem ter dificuldades em escolher frutas maduras e fazer tarefas escolares, o que pode trazer algum sofrimento psicológico para elas.

Quais são as causas do daltonismo?

O daltonismo é um distúrbio genético ligado ao cromossomo X, o que explica sua maior incidência entre pessoas do sexo masculino.

A condição afeta os genes que são responsáveis pelos cones — as células nervosas da retina que permitem identificar e diferenciar cores. No entanto, não são apenas os fatores genéticos que podem desencadear o mal: diversas doenças podem alterar essas células e causar algum tipo de dificuldade do tipo.

Entre as causas mais comuns, estão:

Como é feito o diagnóstico?

diagnóstico do daltonismo é feito, mais comumente, por meio do teste de senso cromático (Teste de Ishihara).

Nessa avaliação, são mostrados aos pacientes diversos cartões com pontilhados coloridos em várias tonalidades diferentes. Neles, podemos ter figuras geométricas (para pessoas não alfabetizadas), letras ou números, dependendo do teste realizado.

O paciente não daltônico consegue visualizar facilmente as imagens. Porém, o paciente daltônico terá dificuldades de enxergar corretamente a imagem, não sendo raro, trocar um número pelo outro.

Veja, agora mesmo, um vídeo online do Teste de Ishihara ou Teste do Daltonismo:

Qual é a importância de um diagnóstico precoce?

Caso exista alguém com histórico de daltonismo na família, as crianças geradas devem fazer testes para descobrirem se são ou não portadoras da doença. Com um diagnóstico precoce, é mais fácil para o oftalmologista ajudar a família a elaborar estratégias para que a vida da criança seja a mais próxima possível do normal.

Crianças

Como é na idade escolar que surgem os primeiros problemas na utilização das cores, como atividades para colorir mapas e desenhos, os pais devem estar atentos para que esse tipo de exercício não constranja as crianças. Por isso, é interessante que os responsáveis conversem com os professores e com a direção da escola.

Como não há problema no desenvolvimento e no aprendizado desses alunos, é possível fazer pequenas alterações nos materiais para que as atividades estejam de acordo com as dificuldades apresentadas. Uma alternativa é colocar o nome das cores nos lápis.

Navegação na internet

A leitura e a compreensão de gráficos com várias cores também pode ser uma tarefa complicada para os daltônicos. Por isso, eles podem ter grandes dificuldades em navegar em sites muito coloridos, uma vez que é possível interpretar incorretamente certas informações.

Para diminuir esse problema, é possível usar programas que fazem modificações nas cores para facilitar a navegação dos daltônicos.

Como é o tratamento?

O daltonismo não tem cura, mas existem alguns tratamentos paliativos que podem reduzir os sintomas e minimizar suas consequências. Existem óculos especiais e até algumas lentes de contato que auxiliam os portadores a distinguir um pouco melhor as cores das quais têm dificuldade de identificação.

Agora que você já sabe o que é daltonismo, não hesite em buscar a ajuda de um oftalmologista se você tem dificuldades em distinguir cores ou conhece alguém que tenha. Somente ele pode fazer o diagnóstico correto e indicar os tratamentos cabíveis.

Quer receber mais dicas sobre o cuidado com os olhos? Assine agora mesmo nossa newsletter!

 

Ricardo Filippo
Especialista em Cirurgia Refrativa a Laser e Ceratocone
Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.

Posts Relacionados