X

O que é o descolamento da retina?

Embora a importância da visão no nosso dia a dia pareça evidente, muitas pessoas só a percebem tal fato quando apresentam algum problema ótico e passam a ter dificuldades em fazer até as coisas mais corriqueiras e banais.

Uma das patologias que afetam nossos olhos e nos fazem perder acuidade visual é o descolamento da retina, que será tema do nosso post de hoje. Você já ouviu falar desse problema? Sabe do que se trata, quais seus tipos, sintomas e tratamentos? Continue lendo e descubra um pouco mais a respeito.

O que é o descolamento da retina?

A retina é uma fina camada de tecido nervoso que fica na parte interna dos nossos olhos. São as células da retina que detectam a luz e enviam esses sinais para a parte do cérebro relacionada à visão, permitindo que possamos enxergar o mundo e decifrar o que vemos.

Quando uma parte dessa estrutura ou até sua totalidade se desprende da parte posterior do nosso globo ocular, ocorre o quadro de descolamento da retina. O problema geralmente começa quando o gel vítreo — uma substância espessa que se localiza dentro dos olhos — encolhe e separa-se da retina.

Quais são as causas do descolamento de retina?

São diversas as causas que podem causar o descolamento da retina. O próprio processo natural de envelhecimento predispõe a esse tipo de problema, mas ainda existem outros fatores preponderantes:

Uma das causas mais comuns é o trauma. Pancadas fortes, choques ou traumatismos cranianos podem causar furos ou rasgos na retina, causando o descolamento.

retinopatia diabética proliferativa também pode ser uma razão para o mal, visto que essa condição pode fazer crescer tecido cicatricial, repuxando a retina e gerando o descolamento.

Inflamações e outros males também podem fazer com que o gel vítreo se acumule, e isso pode separar as camadas, resultando também em descolamento.

Quais são os tipos de descolamentos de retina?

Os tipos de descolamento de retina são: regmatogênio, seroso ou exsudativo e tracional. Vamos falar melhor sobre cada um deles a seguir!

Descolamento de retina regmatogênico

O descolamento de retina regmatogênico acontece por uma rotura na retina (“rasgo”) que possibilita que o vítreo passe para o espaço sub-retiniano (local entre a retina sensorial e o tecido epitelial pigmentado da retina).

Descolamento seroso ou exsudativo da retina

O descolamento seroso da retina, também chamado de exsudativo se dá pela inflamação, lesão ou anormalidade vascular que favorecem o acumulação de líquido sob a retina, sem que haja buracos ou rasgos na retina.

Descolamento da retina tracional

O descolamento da retina tracional acontece quando o tecido fibrosado e vascular, formado por um processo inflamatório ou de neovascularização, traciona e puxa a retina.

Quais são os sintomas do descolamento de retina?

Os sintomas podem ser muito variados, mas em geral seguem um padrão que pode e deve ser observado com atenção. O ideal é frequentar um oftalmologista de confiança anualmente e voltar conforme indicado pelo profissional, especialmente se você apresentar condições de risco aumentado.

Como dito, portadores de diabetes mellitus ou outras doenças que afetem a circulação devem ficar ainda mais atentos, bem como quem sofreu qualquer tipo de trauma mais forte na cabeça.

Os sintomas podem incluir:

  • a impressão de enxergar manchas escuras no seu campo visual, também chamada de “moscas volantes”;
  • a visualização de sombreados em formato de bolhas, cordões ou pequenos pontos escuros;
  • e flashes de luz ou faíscas brilhantes ao movimentar os olhos ou a cabeça, que podem ser mais facilmente identificados em um fundo ou ambiente escuro.

Em casos traumáticos, os sintomas podem aparecer subitamente e incluirão um efeito de sombra em cortina no campo visual ou piora e perda súbita da acuidade.

É importante uma avaliação do especialista na presença de qualquer um desses sintomas, uma vez que o diagnóstico do descolamento de retina deve ser feito por meio de retinografia ou oftalmoscopia em consultório oftalmológico.

Quais são os tratamentos para o descolamento de retina?

De acordo com o exame oftalmológico e a causa do descolamento de retina o oftalmologista indicará o melhor tratamento para o problema. Independente do tipo de deslocamento, existem boas opções de tratamento atualmente, como:

Fotocoagulação a laser ou criopexia

A criopexia, também referida como congelamento ou fotocoagulação a laser é um método usado com o objetivo de reparar uma pequena área de descolamento de retina, rasgadura ou buraco para que o descolamento de retina não progrida.

Retinopexia

A retinopexia é feita sob anestesia local. É um método que injeta uma bolha de gás (gás SF6 ou C3F8) dentro do globo ocular, de forma que a bolha tampe o orifício da retina rompido, como uma espécie de “tampão”. A tensão formada pelo gás veda o rasgo da retina, permitindo que o tecido se recupere, aderindo novamente.

Vitrectomia

vitrectomia é um método cada vez mais escolhido para tratar os casos de descolamento de retina. A remoção do vítreo pode ser combinada com a técnica da bolha de gás ou ainda utilizar óleo de silicone. Uma das vantagens de usar o gás nesta operação é não haver indução de miopia, uma vez que o gás é reabsorvido após algumas semanas.

O óleo de silicone deverá ser removido após um período de 2 a 8 meses, caso seja necessário. Ele é geralmente mais usado em casos associados à proliferação vítreo-retinopatia. A desvantagem da vitrectomia é a maior associação do procedimento com à progressão mais rápida de catarata no olho operado.

A vitrectomia é atualmente a técnica mais praticada para tratar o descolamento de retina e tem altas taxas de sucesso. A recuperação da visão pode demorar algumas semanas.

Essas são as principais características do descolamento da retina. Caso esteja apresentando algum dos sintomas dessa doença, é fundamental realizar uma visita ao seu oftalmologista de confiança, somente ele poderá fazer o diagnóstico correto, orientar o melhor tratamento para manter a sua acuidade visual da melhor possível por muito mais tempo!

Gostou desse post? Então não perca mais nenhum de nossos conteúdos seguindo nossas redes sociais! Estamos no TwitterLinkedIn Facebook.

 

Especialista em vítreo e retina clínica e cirúrgica
Graduado em Medicina pela Universidade José do Rosário Vellano-UNIFENAS-Alfenas-MG.
Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área,
clique aqui.
Categories: Retina e uveíte
Rafael Cerqueira :Graduado em Medicina pela Universidade José do Rosário Vellano-UNIFENAS-Alfenas-MG. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área, clique aqui.